Mais um argumento a favor dos imigrantes

0
11210

Sociólogo americano contesta tese de que presença de estrangeiros aumenta a violência

Foi por terra mais um argumento bastante usado por antiimigrantes para defender a deportação indiscriminada de indocumentados. Um sociólogo americano contestou a tese de que a violência em algumas cidades dos Estados Unidos está diretamente relacionada à presença de imigrantes. Muito pelo contrário: Tim Wadsworth, professor da Universidade do Colorado em Boulder, acha até que a presença de estrangeiros, com seus valores culturais e religiosos, reduz a criminalidade.
Para ele, a chegada em massa de imigrantes a muitas cidades da América durante as últimas duas décadas explicaria a queda nos índices de crimes violentos nestas áreas urbanas. “Tenho investigado o fenômeno e posso afirmar que a conclusão do estudo é que as cidades com maior número de imigrantes entre 1990 e 2000 experimentaram maior redução nas estatísticas de homicídios e roubos”, garantiu Wadsworth.
Ao anunciar os resultados de sua pesquisa – que será publicada na edição de junho da revista científica Social Science Quarterly – o sociólogo explicou que começou a pensar no tema há quatro anos, quando leu algo semelhante num artigo do jornal The New York Times, escrito pelo também sociólogo Robert Sampson, da Universidade de Harvard. O texto tinha o sugestivo título “As portas abertas não convidam os criminosos”. “Minha reação foi a de que estava lendo algo interessante e decidi colocar a questão à prova”, afirmou Wadsworth.
Para tanto, ele recorreu a relatórios do FBI, a polícia federal americana, que continham as atividades criminais de 459 cidades com população superior a 50 mil habitantes. O resultado mostrou que o aumento da comunidade imigrante no determinado período do estudo nestas cidades não correspondeu a um aumento da criminalidade. O sociólogo concluiu que as regiões que registraram chegada substancial de novos imigrantes a partir de 1990 mostraram uma aguda redução de crimes violentos – em alguns casos de até 9,3% nos homicídios e de mais de 22% nas ocorrências de roubos.
Wadsworth reconheceu que seu estudo contradiz a retórica usada por antiimigrantes, mas a ideia também é reforçada por outras pesquisas, como a feita em 2008 pela Universidade de Nebraska, baseada em dados de 15 anos (1990-2005), com os mesmos resultados. “Desde o final do século 19 se comenta sobre a associação entre imigração e criminalidade, mas o tema jamais foi debatido com base em estatísticas”, acrescentou o sociólogo.