Mais uma vez, boatos tiram tranquilidade dos brasileiros

0
591

Informação sobre blitz da imigração em Pompano Beach deixou muita gente em casa

A semana começou intensa na indústria da boataria na nossa comunidade. Desde cedo, a informação de uma suposta blitz da imigração em Pompano Beach, difundida por e-mail, telefonemas, mensagens de texto (SMS) ou mesmo em rodas de conversa, deixou os brasileiros preocupados e muita gente preferiu até ficar em casa. No mall brasileiro na Federal Highway os comerciantes reclamaram do movimento abaixo do normal para uma segunda-feira. A empresária Dalva Schaeffer, que tem uma companhia de limpeza, disse que pelo menos três funcionárias faltaram ao trabalho, sob justificativa de que estavam com medo de dirigir.
Esta não é a primeira vez que isso acontece. Há alguns meses, o mesmo clima de pavor tomou conta da comunidade e, naquela ocasião, a reportagem do AcheiUSA percorreu as ruas de Pompano Beach, sem encontrar qualquer operação policial. Hoje, funcionários do jornal estiveram na Sample Road, Military Trail e na 49th Street, locais onde supostamente estariam montadas as blitz, e nada foi visto de anormal. “As pessoas não entendem que isso é prejudicial. Não podemos entrar em pânico por causa de boatos”, afirmou o advogado Max Whitney.
Ele ficou sabendo do disse-me-disse, mas mantém sua opinião sobre as atividades especiais do ICE (Immigration and Customs Enforcement), a polícia de imigração americana: “Eles sabem quem eles querem pegar e vão direto ao ponto. Não existe essa história de colocar agentes num cruzamento onde vivem vários imigrantes para perguntar, um por um, quem está regularizado no país”, explica.
Douglas Heizer, presidente do Rotary Club de West Boca concorda, mas admite que é impossível conter a boataria. Por isso ele destaca o papel importante da mídias e das lideranças da comunidade no processo de esclarecimento da população. “Informações imprecisas e mentiras não ajudam em nada numa hora dessas. Em contrapartida temos que fornecer dados concretos para evitar o efeito bola de neve, como quando um fato banal, como uma blitz policial de rotina da delegacia de Broward, se transforma em uma operação contra imigrantes”.
Conforme publicado na última edição do AcheiUSA, a secretária de Segurança Nacional, Janet Napolitano, descartou qualquer batida aleatória contra imigrantes nesta administração e reiterou que o foco está na busca de indocumentados que cometeram algum tipo de crime.