Mais vôos entre Brasil e EUA

0
1011

Acordo prevê 154 vôos semanais, um aumento de 50%. Primeira nova rota será entre Miami e Rio de Janeiro, pela TAM

Um acerto entre os governos brasileiro e americano vai aumentar em 50% o número de vôos entre os dois países. O novo acordo bilateral vai elevar o volume de tráfego aéreo permitido entre Brasil e Estados Unidos e ainda eliminar as restrições que limitavam o número de companhias aéreas que poderiam operar rotas entre suas cidades: até então estavam autorizados 105 vôos semanais, operados pela TAM, American Airlines, Continental Airlines, Delta Air Lines e United Airlines; com o novo texto do tratado, serão agora 154 vôos semanais, com a possibilidade de entrada de outras empresas aéreas.
As novas rotas serão introduzidas paulatinamente até outubro de 2010. Já em 5 de setembro deste ano, conforme anunciado pelo AcheiUSA em primeira-mão, será inaugurado um vôo diário entre Rio e Miami; em final de outubro será a vez de Nova York, que também ganhará um vôo direto desde a Cidade Maravilhosa – senão diário, pelo menos em quatro dias na semana. A notícia foi confirmada pelo ministro do Turismo, Luiz Barretto.
As companhias americanas pensam ainda em estabelecer vôos diretos para cinco novas cidades brasileiras, entre elas Fortaleza e Curitiba. Mas isso não deve acontecer a curto prazo, segundo o vice-presidente de Planejamento e Alianças da TAM, Paulo Castello Branco: “Não acredito que o acordo bilateral represente mudanças imediatas. A situação hoje é diferente de um ano atrás, quando o preço do barril de petróleo não estava tão alto”, acredita o executivo da empresa paulista. Ele conta que a TAM está avaliando os custos de operação e rentabilidade para introduzir novas rotas no mercado americano.
Também no segmento de cargas, o acordo bilateral promoverá mudanças: os vôos semanais poderão aumentar imediatamente dos 24 atuais para 35. Até 2010, esse número deve ser elevado para 42, assim como o número permitido de operadoras de transporte de carga aérea. A iniciativa permitirá também o aumento de vôos charter de carga de 750 por ano para 1.000 imediatamente e para 1.250 em 2010. E, segundo informações do Departamento de Transportes dos EUA, as companhias aéreas de carga dos Estados Unidos poderão transferir conteúdo diretamente de aeronaves para caminhões para entregas porta-a-porta no Brasil.
“Este acordo vai permitir às empresas aéreas atender à crescente demanda por serviços de passageiros e cargas entre os Estados Unidos e o Brasil. Agora mais do que nunca, é crucial que ofereçamos às empresas dos EUA toda a oportunidade possível para competir e ser bem sucedidas nos locais para os quais querem voar seus passageiros”, disse a secretária de Transportes dos EUA, Mary E. Peters.