Marcos Valle relança grandes obras nos EUA

0
630

Presidente gostou da homenagem e escreveu uma carta de agradecimento à piauiense

Marcos Valle

Marcos Valle não foi identificado com o influente movimento Tropicália do Brasil durante os anos 60 e 70. Mas, como seus colegas Caetano Veloso e Gilberto Gil, ele compôs canções pop subversivas naqueles anos, mesclando soul e rock americano com samba, bossa nova e outros estilos brasileiros. Seus melhores trabalhos figuram entre as músicas mais balançadas já produzidas no Brasil, e já foram gravadas por artistas como Jay-Z e Kanye West.

Esta semana, quatro dos melhores discos de Valle – Marcos Valle, Garra, Vento Sul e Previsão do Tempo estão sendo relançados. Eles foram feitos no início dos anos 70, quando o Brasil estava sob a ditadura militar e os censores do governo estavam sempre de olho. Como as notícias explicam, Valle foi forçado a alterar um verso que celebrava a mistura racial na canção “Black Is Beautiful.” Mas na faixa título de Garra, ele teve sucesso ao criticar o que via como uma cultura capitalista cega. “Eu corro atrás de dinheiro, ha ha, até meu corpo desfalecer.”

Valle elaborou seu codificado comentário político na sedutora canção que ecoava The Beatles e Stevie Wonder. Mas seu estilo vocal percussivo parece bastante moderno, com artistas como Frank Ocean e Drake separando a diferença entre uma canção de rap e de soul. O clima legal de soul-jazz destes discos também soa como contemporâneo ao lado dos discos recentes de Jose James e Robert Glasper.
Valle tem quase 70 anos e ainda está fazendo músicas interessantes, mas estes discos mostram que aquilo que estava fazendo continua atemporal.