Membros de grupo antiimigrante começam marcha nacional

0
751

Simpatizantes do Minuteman prometem cruzar todo o país e reunir-se em Washington para protestar contra os ilegais

O grupo “Minuteman”, formado por cidadãos americanos que realizam atividades contra imigrantes indocumentados, lançou nesta quarta-feira em Los Angeles uma “caravana” que atravessará em automóveis todos os Estados Unidos até Washington para protestar contra o trabalho ilegal.

Os “Minutemen”, cujos membros patrulham a fronteira com o México para impedir que os indocumentados a atravessem, pretendem chegar a Washington passando em locais como Crawford, Texas, onde o presidente George W. Bush tem seu rancho de férias.

“Mais de 40 por cento dos negros menores de 20 anos não têm trabalho. O desemprego total entre a comunidade negra é o dobro daquele entre os brancos. São eles que sofrem mais com a imigração ilegal e é hora de concentrarmos nossa ação nas cidades de população negra, onde mais precisam de nossa ajuda”, observou o fundador do grupo, Jim Gilchrist. Ele afirmou que a caravana busca denunciar como os imigrantes indocumentados ficam com o trabalho de outras pessoas, e particularmente dos negros.

A caravana partiu de Leimert Park, um bairro ao sul dos Los Angeles de maioria negra. Os autodenominados “Minutemen” são cidadãos comuns que, descontentes com a imigracão ilegal, decidiram agrupar-se e realizar patrulhas na fronteira com o México em Arizona -considerado o trecho mais vulnerável da fronteira de 3.200 quilômetro que separa os dois países – para delatar os imigrantes ilegais.

Minuteman foi um nome inspirado nas milícias da guerra da independência dos Estados Unidos (1775-1783) e o grupo é integrado só por “voluntários”, alguns dos quais armados, que se colocam em, diversos pontos da fronteira com o México desde abril de 2005 e alertam ou ajudam à guarda fronteiriça a dar com indocumentados, mas não têm permissão de prendê-los.

O anúncio da “caravana Minutemen” ocorre em momentos em que a comunidade hispânica, minoria mais expressiva com 40 milhões de pessoas nos Estados Unidos, conseguiu convocar várias manifestações no país para reclamar por uma reforma imigratória “justa”, que ofereça caminhos para a legalização aos 12 milhões de indocumentados que vivem no país, em sua maioria latinos.