Memorando do governo sugere possibilidade de anistia a imigrantes sem ação do Congresso Nacional

0
615

Documento dá esperança a indocumentados mas deve ser apenas paranoia republicana

Senadores republicanos já solicitaram audiência na Casa Branca para pedir explicações sobre um memorando do Departamento de Segurança Nacional (DHS na sigla em inglês), intitulado ‘Alternativas administrativas a uma ampla reforma imigratória’.
O documento, em determinado trecho, analisa a possibilidade de legalização de indocumentados sem a necessidade da aprovação de uma lei pelo Congresso Nacional. Seria bom se fosse verdade, mas indícios sugerem que trata-se, apenas, de paranoia dos opositores de Obama.

O caso já está sendo chamado por parte da imprensa americana, especialmente a rede de televisão FOX, de forte influência republicana, de ‘smoking gun’, expressão que significa algo como ‘prova irrefutável’ do desejo do governo de ignorar o Senado e a Câmara na anistia aos indocumentados. O senador Chuck Gresslley (republicano do Iowa) teve acesso ao memorando e decidiu criar a polêmica. Para ele, Obama estaria tentando ignorar a autoridade do Congresso nessa matéria e assinar a legalização de mais de 10 milhões de imigrantes com apenas um ato do Poder Executivo. “É motivo de preocupação”, admitiu o parlamentar.

Verdade que o documento foi preparado numa folha ofício do Serviço de Cidadania e Imigração, ligado ao DHS, mas o papel não tem data nem assinatura oficial. Ou seja, segundo membros da administração federal, alguém do staff apresentou, em forma de rascunho, sugestões sobre o assunto. “Um brainstorm (exercício de imaginação)”, como disse um deles.

A maior defesa de Obama é que seu atual governo tem caminhado na direção oposta ao conteúdo do memorando, principalmente no tocante ao cumprimento das leis: no atual governo o número de deportações aumentou e as fronteiras jamais estiveram tão policiadas, exatamente para evitar a imigração ilegal. Por mais de uma vez, o presidente americano deixou claro que não vai usar seus poderes de líder da Nação para se colocar acima da legislação.

Mesmo assim, vale destacar que o memorando representa o sonho de muitos indocumentados. Entre as “sugestões”, apresentadas em 11 páginas, estão por exemplo saídas administrativas para “promover a união familiar”, “promover crescimento econômico” e “reduzir a ameaça de deportação”. Muito bom para ser verdade.