Metade dos indocumentados detidos nos EUA não tem registros criminais

0
891

Dados são confirmados pelo próprio relatório do ICE

Metade das detenções de indocumentados pelas autoridades imigratórias nos anos fiscais 2012 e 2013 foi efetuada sem que os detidos fossem culpados de algum delito, segundo os dados mais recentes do Gabinete de Imigração e Alfândega (ICE).

Um relatório da organização Transactional Records Access Clearinghouse (TRAC) da Universidade de Syracuse publicado recentemente indica que 12 por cento dos imigrantes detidos foram declarados culpados de algum delito grave.

Em alguns estados do país a porcentagem de imigrantes detidos sem registros criminais é até mesmo maior.

Em Idaho, 29 por cento dos indocumentados detidos foram condenados por delitos graves, enquanto na Virgínia e em Connecticut este percentual foi de 34 e 35%, respectivamente.

Em contrapartida, em outros estados do país estas taxas são mais elevadas do que a média nacional, de acordo com a informação governamental.

Pelo menos sete de cada 10 indocumentados presos no Missouri, Alabama e Kansas foram declarados culpados de algum tipo de ofensa criminal, segundo o quadro estatístico.

A presidente da Associação de Juízes de Imigração (NAIJ), Dana Leigh Marks, afirmou que para os juízes imigratórios fica muito difícil atender cada um dos casos de maneira eficaz pela sobrecarga de trabalho.

“As pessoas têm o direito de ter uma audiência completa para apresentar seu caso e nós não temos nem juízes nem advogados suficientes para resolver os casos”, assegurou.

É necessário, mencionou, que durante os próximos três anos seja aprovado um orçamento no Congresso para as cortes de imigração com o objetivo de agregar 225 juízes, 225 advogados e 225 secretários a cargo dos casos imigratórios do país.

“Oitenta e cinco por cento não possuem advogados e isto é uma situação muito crítica, porque as pessoas têm direito a um advogado pago”, acrescentou. “Estamos pedindo ao Congresso e ao Departamento de Justiça mais recursos para poder fazer nosso trabalho bem e rápido, e estamos enfocando isto como uma prioridade”.

A juíza explicou que ao contrário de outras cortes dos Estados Unidos, onde cada juiz conta com o apoio de um advogado, nas de imigração é preciso usar um advogado especialista para cada quatro juízes.

A relatório da organização Transactional Records Access Clearinghouse se baseou na informação oficial do ICE de mais de 3,900 centros de detenção dos Estados Unidos.

Durante os dois últimos anos fiscais, foram processados cerca de meio milhão de imigrantes indocumentados (436,000).

Neste período, “a enorme maioria das ordens de detenção, cerca de quatro de cada cinco, ou seja, 82 por cento, foram emitidas para pessoas que ou não tinham condenações ou tinham em sua maioria algum tipo de ofensa menor, como, por exemplo, uma infração de trânsito”, indica o relatório.

Dos 50% dos indocumentados detidos que foram declarados culpados de algum delito, 9 por cento foram detidos por dirigir embriagados e 6% por infrações de trânsito, segundo os dados oficiais.

O número de pessoas deportadas que cometeram delitos graves diminuiu no começo do ano fiscal 2014, que começou em 1º de outubro passado.

De acordo com dados do Departamento de Segurança Nacional, apenas 3.6 por cento, ou 637, dos 17,689 expulsos até novembro de 2013 foram declarados culpados de delitos graves.