Mudança de rota pelo capitão pode ter causado naufrágio de balsa na Coreia do Sul

0
706

NaufrágioA balsa que naufragou na manhã de quarta-feira (16) na Coreia do Sul, matando nove pessoas e deixando outros 290 passageiros desaparecidos, fez um desvio e uma mudança brusca na rota recomendada. O movimento teria deslocado a carga e levado a embarcação repleta de estudantes a naufragar. A balsa levava 475 passageiros.

Um agente da Guarda Costeira disse que o capitão da balsa, Lee Joon-seok, de 69 anos, foi indiciado em inquérito. Há relatos não confirmados de que ele teria sido o primeiro a abandonar o barco. Os sobreviventes relataram que por volta das 9h locais (21h de Brasília da terça-feira) foi possível ouvir um forte estrondo no navio, que foi tombando pouco a pouco até afundar quase totalmente cerca de duas horas depois.

Vários sobreviventes indicaram ainda que a tripulação ordenou a todos que ficassem em seus lugares após o acidente. De acordo com sobreviventes, os estudantes obedeceram as ordens e não saíram do barco.

As primeiras avaliações sobre o acidente afirmam que a balsa Sewol colidiu com uma rocha ou um recife submarino, o que teria partido seu casco e provocado a entrada de água, mas várias outras hipóteses foram ventiladas sobre os motivos do naufrágio. Em todo caso, o governo sul-coreano anunciou que não começará as investigações, nem vai oferecer conclusões, até que sejam concluídos os trabalhos de resgate.

Mais de 500 mergulhadores continuvam com as buscas pelos 287 desaparecidos que teriam ficado presos na embarcação. Do total de passageiros, 325 eram alunos do ensino médio de um instituto de Ansan, na periferia de Seul, que estavam em uma viagem escolar para a ilha turística de Jeju.

O naufrágio pode se tornar uma das piores tragédias humanas da Coreia do Sul caso não sejam encontrados mais sobreviventes.