Mundo consome mais chocolate do que produz, alertam fabricantes

0
1012

De acordo com dados das empresas Mars e Barry Callebaut, em breve demanda pode superar oferta

DA REDAÇÃO COM WASHINGTON POST

Museu The Hershey Story, na Filadélfia: fabricante já subiu preços do chocolate

Museu The Hershey Story, na Filadélfia: fabricante
já subiu preços do chocolate

O mundo está consumindo chocolate demais e é muito provável que, em pouco tempo, a oferta do produto não atenda mais à demanda. O alerta foi disparado por dois dos maiores fabricantes de chocolate do mundo, as companhias Mars e Barry Callebaut. O motivo do déficit chocólatra se deve ao fato de que o mundo come mais produtos à base de cacau do que produz a matéria-prima–e isso está virando norma.

Segundo as empresas, o planeta atravessa o que pode se tornar uma longa série de interrupções na oferta de cacau. Apenas em 2013, foram consumidos no mundo 70 mil metros cúbicos a mais de cacau além do que foi produzido. Até 2020, os dois fabricantes estimam que esse consumo excedente poderia saltar para 1 milhão de metros cúbicos, dada a velocidade com que vem crescendo. Em 2030, o planeta teria de consumir 2 milhões de metros cúbicos a mais de cacau para suprir sua fome por chocolate.

O problema, apontam especialistas, se deve à produção do fruto. Uma seca que castiga o oeste da África (especialmente a Costa do Marfim e Gana, onde mais de 70% do cacau mundial é produzido) fez com que a produção do fruto na região despencasse. Um fungo chamado Moniliophthora roreri também contribuiu para o cenário: de acordo com a International Cocoa Organization, ele teria afetado entre 30% e 40% da produção mundial do fruto. Devido a todas essas intempéries, cultivar cacau vem sendo cada vez mais difícil, e muitas fazendas que se dedicavam a essa cultura resolveram apostar em outros cultivos, como o de milho.

Outro motivo que aproxima o planeta de um futuro sem chocolate é o crescente apetite de nações como China e Brasil pelo produto–algo que vem crescendo ano a ano. O aumento na popularidade do chocolate amargo, que requer mais cacau em sua fabricação (70% de cacau contra 10% do chocolate ao leite) também influencia.

Por essas razões, preços de cacau aumentaram mais de 60% desde 2012, ano que em que esse consumo excedente de cacau passou a ser registrado pela indústria. Isso, por sua vez, fez com que fabricantes de chocolate tivessem de aumentar o preço cobrado pelo produto–algo que já é posto em prática pela Hershey’s. ?