Música para os ouvidos e para a saúde

0
419

Brazilian Voices coloca em prática programa para auxiliar no processo de cura de pacientes

Não é de hoje que a música está associada à recuperação de pacientes com determinados tipos de doenças, como derrame cerebral, mal de Parkinson e até câncer. Ciente disso, o Brazilian Voices está lançando o projeto Arts & Health Care, em que pretende auxiliar no processo de recuperação dos doentes que estejam internados em clínicas, hospitais e casas de saúde do sul da Flórida. O grupo vocal, composto por 65 mulheres (brasileiras, em sua grande maioria) e que sempre encantou seus diversos públicos com seus programas culturais, educacionais, infantis, inclui agora em seu repertório de projetos a solidariedade e a transformação de vidas.

A primeira parada nessa nova jornada será no Gilda’s Club, uma casa em Fort Lauderdale para pessoas que lidam com o câncer.  Nesse local, cercado de árvores e por onde pavões passeiam despreocupados pelos jardins, portadores da doença e familiares se reúnem para assistir a palestras sobre as novidades da medicina acerca dos tratamentos ou para participar de sessões de ioga e meditação – e, a partir do dia 19 de março, para ouvir o Brazilian Voices.

“Teremos a oportunidade de contribuir no processo de cura dessas pessoas através de nossa música”, comemora Marpessa Demoraes,  uma das responsáveis pela implantação do projeto junto com Marize Casaes – formada em Naturopatia e Astrologia. Além de ser uma das vozes do grupo, Marpessa – uma americana criada na Argentina – é psicóloga e pedagoga e, portanto, sabe bem do poder terapêutico que as canções podem produzir nos pacientes. Por isso, não esconde a ansiedade e a expectativa com a primeira apresentação.

Mas o Arts & Health Care não estará limitado ao Gilda’s Club, fundado em homenagem à comediante do programa de TV Saturday Night Live e atriz Gilda Radner, que faleceu vítima de câncer no ovário, na década de 80.  O objetivo do Brazilian Voices é atingir outros centros, inclusive o Broward General Medical Center, o maior da região, com quem já vem desenvolvendo idéias e contatos para a realização da atividade em unidades de terapia intensiva.

Quanto ao repertório, o grupo pretende escolher canções da Música Popular Brasileira que reflitam alegria e esperança – como a Bossa Nova, que está sempre presente nos trabalhos do Brazilian Voices. “O repertório será de bossa nova e canções que inspirem tranqüilidade, alegria e esperança, penso em ‘Alguém Cantando’, ‘Aquarela do Brasil’ e ‘Samba de Uma Nota Só’, por exemplo”, conta Marpessa, acrescentando que esta também é uma excelente oportunidade de divulgação da cultura brasileira aqui nos Estados Unidos.

É claro que, por questões de espaço e da própria natureza do projeto, nessas apresentações, o Brazilian Voices será representado apenas por uma parcela das vozes: elas pensam em no máximo 15 cantoras, que serão sempre acompanhadas pelo piano encantador de Beatriz Malnic, que além de diretora-fundadora do grupo juntamente com Loren Oliveira é a idealizora desse projeto ao lado de Bonnie Repetti, uma das coordenadoras de programação do Broward Center for the Performing Arts. “Nosso objetivo é atingir o coração e a alma dos nossos ouvintes e, através de nossas vozes e melodias, aliviar um pouco a dor que eles sentem”, resume Marpessa.