New York Times critica postura de candidatos republicanos

0
828

Os republicanos, que se encontram em campanha para escolher o candidato que disputará a presidência com o presidente Barack Obama, se negam a assumir posição coerente na reforma imigratória

Um dos diários mais importantes deos Estados Unidos, The New York Times, fustigou no sábado as posturas dos aspirantes à candidatura presidencial republicana no que se refere ao tema imigratório e disse que eles estavam equivocados.

O jornal indicou em seu editorial de sábado que os imigrantes indocumentados têm trabalho, têm filhos, pagam impostos, usam os serviços do governo e frequentemente vivem com medo. E os pré-candidatos evitaram responder tomar uma posição firme nos dois últimos debates sobre este tema.

Nos Estados Unidos vivem 11 milhões de imigrantes sem papéis, segundo dados do Pew Hispanic Center e do Departamento de Segurança Nacional (DHS), que aguardam ansiosos a aprovação no Congresso de uma reforma que lhes permita legalizar suas permanências. Mas os republicanos resistem a votar a favor de um projeto que lhes abra o caminho para a legalização e optaram por condenar qualquer tipo de benefício que os tire da clandestinidade.

O New York Times escreveu ainda que os pré-candidatos do partido republicano também rechaçam a aprovação de uma anistia como a aprovada em 1986 sob o governo do então presidente Ronald Reagan, e também uma reforma imigratória integral com multas apoiada pelo ex-mandatário George W. Bush e seu sucessor Barack Obama.

Acrescentou que quando se toca no tema dos indocumentados os pré-candidatos recomendam fechar a fronteira, o que exige bilhões de dólares em novos gastos do governo. O diário mostrou estranheza pelo pedido de bilhões para a segurança nas fronteiras por parte de políticos que ao mesmo tempo pedem corte de serviços públicos básicos.

Embora a reforma imigratória integral seja a resposta do presidente Obama ao problema, o projeto não avanza pela falta de apoio republicano. Para ser aprovada, a reforma imigratória precisa de 218 votos na Câmara de Deputados e 60 no Senado. A Câmara está controlada pelos republicanos e no Senado os democratas só contam com 51 votos.

O matutino disse também que a postura de fechar a fronteira não é a solução para o problema da imigração indocumentada. E apontou ser falso apresentar a fronteira como perigosa, quando as cidades americanas na região fronteiriça com o México encontram-se entre as mais seguras do país e reduziu-se a passagem de indocumentados.

No início da semana, um relatório oficial revelou que as prisões registradas no ano fiscal 2011 (que se encerra em 30 de setembro) estão em torno de 450 mil, a cifra mais baixa registrada nos últimos 40 anos. E as duas causas principais são a crise econômica e a segurança na fronteira.

O New York Times concluiu que a reforma imigratória integral é a definição de uma política sensata e pró-americana. E a postura republicana se traduz em uma heresia.