“New York Times” fala de “nova Inquisição” em caso Renascer

0
696

Uma matéria do jornal “The New York Times” sobre a prisão do casal Estevam e Sônia Hernandes –líderes religiosos da Igreja Renascer acusados de transporte ilegal de dinheiro para os Estados Unidos– fala de uma “nova Inquisição”.

A expressão, utilizada por uma das filhas do casal, ecoa a opinião de evangélicos que se sentem ofendidos pela maneira como o caso vem sendo conduzido pelas autoridades e noticiado nos meios de comunicação brasileiros.

“A cobertura (da prisão) dos Hernandes e as acusações contra eles tem sido uniformemente negativa na mídia noticiosa brasileira, com muitos jornais e revistas reduzindo sua denominação a uma ‘seita”, atesta o correspondente do jornal, Larry Rother, evitando, no entanto, endossar ou contestar a opinião da filha.

“Um jornal até coloca o termo ‘bispo’ entre aspas para se referir ao casal e aos líderes da sua Igreja.”

A matéria nota que as correntes pentecostais vêm ganhando não só cada vez mais adeptos, mas “riqueza e poder” no Brasil.

“Mais de 10% dos membros do Congresso do Brasil pertencem à bancada evangélica, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva escolheu seu vice de um partido dominado pelos grupos pentecostais”, afirma o texto.

O advogado do casal Hernandes, que deve ser julgado em Miami no início de maio, disse ao jornal que o caso “não é uma questão religiosa, mas que envolve a mídia, e interesses políticos e comerciais”.

Santidade

Matéria do jornal espanhol El País diz que o túmulo de Gabrielli Eichholz, a menina de um ano e sete meses que foi violentada, morta e deixada na pia batismal de uma igreja em Joinville, virou “um lugar de culto”.

“Centenas de ramos de flores se apinham sobre o túmulo da menina. As pessoas deixam oferendas de todo tipo, inclusive uma boneca de plástico com a qual Gabrielli brincava”, relata o texto.

O assassinato da menina, disse o jornal, “se somou à longa lista de episódios macabros que praticamente todos os dias emocionam o Brasil”.

O El País nota que a peregrinação ao túmulo de Gabrielli levanta uma questão religiosa, já que a família dela é adventista. Protestantes não acreditam e santos e, por isso, não canonizam as pessoas, diz o repórter.

“Mas muitos dos que rezam sobre o caixão da menina são católicos e poderiam considerar a pequena como uma santa.”

Perdão de dívida

O Reino Unido e países europeus tentarão bloquear a iniciativa brasileira e americana de aprovar um perdão de dívida para os cinco países mais pobres da América Latina, afirma o britânico “The Guardian”.

O perdão no valor de US$ 4,4 bilhões (mais de R$ 9,5 bilhões), que será discutido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), beneficiaria Bolívia, Guiana, Haiti, Honduras e Nicarágua.

Segundo o “Guardian”, a delegação britânica alegará que o perdão “é uma quebra flagrante dos princípios acordados no encontro em Gleneagles, na Suíça, em 2005, de que perdões de dívida não seriam aprovados em detrimento de outros programas de erradicação da pobreza”.

Os britânicos dizem que, embora o acordo de Gleneagles não inclua o BID, os países latino-americanos deveriam “gozar do mesmo status que os países africanos”, de acordo com a matéria.

Ainda segundo o “Guardian”, o Brasil tentará evitar que a operação afete os recursos das maiores nações em desenvolvimento.