NFL investiga fraude em jogo do Patriots

0
528

Bolas estariam murchas e facilitaram a vitória do time de futebol americano

DA REDAÇÃO COM ESPN

“New

New England Patriots venceu o Indianápolis Colts de 45 a 7

O New England Patriots está classificado para o Superbowl, jogo mais importante da liga de futebol americano, por ter vencido o Indianapolis Colts por 45 a 7, mas uma fraude no jogo está sendo investigada. A NFL concluiu que 11 das 12 bolas usadas no jogo estavam murchas. As informações ainda não foram oficializadas pela liga–e por isso ainda não há um veredicto sobre possíveis punições -, mas foram confirmadas à ESPN  americana por uma fonte envolvida nas investigações. A partida será no dia 1 de fevereiro no Arizona contra o Seattle Seahawks.

Segundo o inquérito, as bolas estavam cerca de duas libras mais leves do que deveriam–elas precisam estar infladas entre 12,5 e 13,5 libras–5,6 e 6,1 litros–por polegadas quadradas e pesar entre 14 e 15 onças–6,3 a 6,8 quilos. Murchas, as bolas facilitariam lançamentos e recepções.

A NFL agora estaria investigando como foi que as bolas foram murchas. Cada time usa seu próprio conjunto de 12 bolas quando está no ataque. Mas esse conjunto é averiguado pelos árbitros cerca de duas horas e meia antes de partida. E não pode mais ser tocado até o jogo começar.

A expectativa da liga é de que as investigações ainda durem por mais dois ou três dias. Depois, pode haver ou não uma punição aos Patriots. A preocupação da NFL é com a imagem do esporte, que pode ser completamente arruinada por um time que trapaceou para chegar ao Super Bowl.

Os Patriots garantem estar cooperando com o inquérito. O técnico Bill Belichick preferiu não falar sobre o assunto, mas garantiu estar disposto a responder qualquer pergunta feita pela NFL sobre o caso. O wide receiver Julian Eldeman disse que não sentiu nenhuma diferença nas bolas. Já Matthew Slater, capitão dos times especiais, saiu em defesa da equipe.

“Tentamos fazer as coisas do jeito certo. Trabalhamos duro para ter sucesso. Infelizmente coisas desse tipo acabam aparecendo, mas temos que viver com isso”, disse.