Nova lei imigratória reduzirá o déficit em $197 bilhões

0
508

Uma reforma imigratória com via de legalização ajudará a economia dos Estados Unidos

Um relatório do Gabinete de Orçamento do Congresso revelou esta semana que a reforma imigratória bipartidária será benéfica para o crescimento econômico dos Estados Unidos.

O relatório assinala que o projeto S. 744 debatido no Senado reduzirá o déficit em $197 bilhões nos próximos 10 anos, dado que contrasta com os ataques de grupos de ultradireita que se opõem à legalização dos milhões de imigrantes indocumentados que vivem no país.
O estudo acrescenta que cerca de $700 bilhões serão reduzidos no déficit na próxima década.

A análise do Gabinete de Orçamento do Congresso foi realizada no mês passado pelo atuário principal da Administração do Seguro Social, uma unidade de caráter independente.

Ajuda ao Seguro Social

Entre as conclusões também detalha que o projeto de lei bipartidária de imigração do Senado fortalecerá a solvência a longo prazo do Seguro Social para as gerações futuras.

O Gabinete de Orçamento do Congresso também enfatizou que a aprovação do projeto de lei da imigração não só reduzirá o déficit, como aumentará o crescimento econômico nos anos vindouros.

Ao corrigir nosso sistema de imigração que não funciona, e certificar-se de que todo trabalhador nos Estados Unidos seja regido pelo mesmo conjunto de regras e pague impostos como todas outras pessoas, podemos fomentar a economia, fortalecer a classe média, melhorar nossa perspectiva fiscal e criar novas oportunidades para os americanos em todas partes, indica.

No plenário do Senado debate-se desde a semana passada um projeto de lei que inclui uma via de legalização para imigrantes sem papéis que estão nos Estados Unidos desde antes de 31 de dezembro de 2011, carecem de antecedentes criminais, pagam impostos, entreguem suas impressões digitais ao Departamento de Segurança Nacional (DHS) e paguem uma multa.

Os que forem autorizados entrarão em um estado de imigrante temporário que durará 10 anos. Ao final deste período, poderão pedir a residência permanente e três anos depois a cidadania.

O plano garante que durante esse tempo os imigrantes terão direito a uma permissão de trabalho e poderão entrar e sair dos Estados Unidos.

Enquanto o Senado debate o plano, na Câmara um grupo bipartidário elabora um projeto que em breve será entregue ao Comitê Judiciário. A iniciativa, advertiram alguns legisladores, será diferente do plano do Senado mas incluirá a legalização de milhões de indocumentados.