Novo laudo médico pode salvar brasileiro de morte na Indonésia

0
1128

Condenado a fuzilamento, Rodrigo Gularte passou por entrevista na prisão e foi examinado por cinco médicos

Novo laudo médico pode salvar brasileiro de morte na Indonésia

DA REDAÇÃO (com Folha de S.Paulo) – Um laudo de médico credenciado pelo governo da Indonésia recomenda a internação imediata do brasileiro Rodrigo Muxfeldt Gularte, 42, em hospital psiquiátrico, informa a Folha de S.Paulo. Gularte foi condenado à morte por tráfico de drogas, após tentar entrar no país com 6 kg de cocaína, e atualmente está preso em uma prisão de segurança máxima no interior do país. O governo local quer executá-lo nas próximas semanas, em data ainda não definida. Recentemente, o brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, que traficou drogas para o país e foi condenado à morte, foi fuzilado.

O documento, obtido pela Folha, foi emitido na quarta-feira (11) em bahasa (idioma local) e inglês. A defesa de Gularte entregará o laudo à Procuradoria-Geral da Indonésia, órgão responsável por levar adiante as execuções, como forma de tentar evitar a execução do brasileiro.
“O paciente apresentou sintomas de transtorno mental crônico com diagnóstico de esquizofrenia paranoide e transtorno bipolar com características psicóticas”, afirma o doutor em psiquiatria H.Soewadi, responsável pelo laudo. Ele entrevistou Gularte na prisão de Pasir Putih, com outros quatro profissionais.

“Nós sugerimos que o paciente receba tratamento psiquiátrico intensivo e medicação em um hospital psiquiátrico”, recomendou o médico. Segundo Soewadi, o brasileiro apresenta “alucinações visuais e auditivas” e pensamentos “não realistas”.

Adiamento da execução
A defesa já havia obtido um laudo de médico indonésio sobre o estado de saúde de Gularte. Agora, é um profissional credenciado pelo próprio governo da Indonésia – sem relação com a defesa, portanto – que elabora um parecer com resultado semelhante.

O porta-voz da Procuradoria-Geral já admitiu, em entrevista à Folha em janeiro, que a apresentação do laudo poderia adiar a execução de Gularte.

Trata-se da última chance de salvar Gularte da execução, que se dá por fuzilamento. Não há mais recursos judiciais a fazer – em janeiro, uma das etapas burocráticas antes da execução foi cumprida: o presidente Joko Widodo negou clemência ao brasileiro.