Número de imigrantes no planeta Terra atinge marca histórica

0
862

Já somos mais de 200 milhões no mundo, segundo um relatório da Organização Internacional para a Imigração (OIM), o número de pessoas que vivem fora do próprio país de origem cresceu 5% nos últimos três anos, já que em 2005 existiam 191 milhões de imigrantes. O documento, intitulado World Migration Report 2008, chama a atenção também pela grande diversidade de origens e distribuição desses imigrantes.

O relatório afirma que após a 2ª Guerra Mundial, apenas alguns países passaram a receber regularmente imigrantes, especialmente europeus. “Hoje, porém, os padrões de movimento são tais que a maior parte dos países é simultaneamente de origem, trânsito e destino de imigrantes”. Representante da OIM, Jemini Pandya afirma que a crise econômica mundial não influenciará o número de imigrantes. “Os fatores que estimularam os movimentos migratórios nas últimas décadas, como uma maior globalização, facilidade de transporte e acesso a informação, não devem desaparecer”, disse Pandya.

A ONU calcula que três quartos dos imigrantes se concentram em 28 países, mas não resta dúvida que os Estados Unidos são o maior receptor. A população imigrante cresceu na maior economia do mundo a um ritmo de um milhão de pessoas por ano desde 1990, totalizando hoje 50 milhões de pessoas, ou o equivalente a 20% dos habitantes. A Rússia, com 12,1 milhões de imigrantes, e a Alemanha, com 10,1 milhões estão a seguir na lista. Na Europa, estima-se que a população imigrante soma 64 milhões.

“Os motivos que levam as pessoas a mudar de país também não desapareceram. O que pode existir é um endurecimento nas leis dos países de destino, o que geraria uma quantidade maior de imigrantes ilegais. Sugerimos que os países, em vez de estimular a imigração ilegal aumentando as restrições, se preparem melhor para receber os imigrantes, para beneficiar o crescimento de suas economias”, acrescentou Pandya. Para ele, esses países, especialmente os europeus, devem analisar como estará sua força de trabalho no futuro, quais os setores que devem estar mais deficientes e se preparar para acolher o número necessário de pessoas qualificadas vindas de outras nações.

Um outro relatório, produzido em 2007 por uma comissão do Congresso brasileiro, mostra que o número de emigrantes brasileiros já supera os 3,5 milhões de pessoas, das quais um terço vive clandestinamente em 30 países. Segundo dados do Ministério das Relações Exteriores, 38% dos brasileiros emigrantes foram para os Estados Unidos, 30% para o Paraguai, 13% para o Japão e 11% para a Europa.