O Brasil da Copa no Sul da Flórida

0
1032

Adriana Sabino*

No dia 30 de outubro, 2007, a Fédération Internationale de Football Association (FIFA), anunciou que o Brasil sediaria a Copa do Mundo de 2014.

Vinte e uma cidades brasileiras submeteram candidaturas para sediar os jogos. Devido ao tamanho do país – um dos cinco maiores do mundo, o número proposto pela FIFA, de 8 a 10 cidades-sede foi aumentado e doze cidades, em todas as cinco regiões do Brasil, foram escolhidas para sediar um dos eventos esportivos mais assistidos no mundo.

O Centro Cultural Brasil-USA da Flórida (CCBU) viu o interesse gerado pela Copa como uma ótima oportunidade para cumprir a sua missão que é a de divulgar a cultura brasileira no sul da Flórida. Em 2012 criou o programa “Copa Cultural” apresentado, em parceria com o Miami Dade County Public Library System, nas bibliotecas West Regional e Key Biscayne, que mostrava a cada mês uma das cidades-sede. No ano seguinte, o programa, transformado no “Copa Cultural 2.0” foi apresentado na livraria independente “Books & Books”, em Coral Gables. Ao longo de 2013, mensalmente, o público multinacional da livraria, que é um verdadeiro centro cultural, conheceu a cultura, as tradições, as artes, a música e a gastronomia das doze cidades.

Desses programas surgiu a idéia de apresentar no museu de Coral Gables, vizinho da sede do CCBU, uma exposição sobre o Brasil. Como a missão do museu é exibir arquitetura e urbanismo, o tema da exposição foi facilmente definido: os novos estádios e as cidades-sede da Copa do Mundo.

A exposição 12 Stadiums 12 Cities: Brazil 2014 World Soccer Destination, organizada pelo Centro Cultural Brasil-USA e pelo Museu de Coral Gables, será uma extraordinária plataforma de divulgação do Brasil e dará uma importante visibilidade à comunidade brasileira do sul da Flórida. Através da mostra que ficará exposta na ampla Galeria Fewell do Museu de Coral Gables de 5 de junho a 14 de setembro, o CCBU pretende exibir a excepcional diversidade cultural do nosso país, a arquitetura de ponta e sustentável dos novos estádios.

Complementando a mostra, o Museu e o CCBU criaram um programa original, que apresentará um painel com arquitetos que projetaram alguns dos estádios; discussões sobre a preparação do país e o legado da Copa; uma conversa com o antropólogo Roberto DaMatta sobre Brasil e o futebol; filme; palestras sobre cultura brasileira; programas para toda a família e duas festas na praça do Museu (transformada em campo de futebol), para assistir ao jogo de abertura da Copa e a partida Brasil x México em tela gigante.

Organizar essa exposição, um esforço enorme para um grupo de voluntários, não é uma posição alienada, nem irresponsável. A preparação do país para a Copa do Mundo de 2014 mostrou aos brasileiros e ao mundo que o Brasil ainda tem muitos problemas a resolver. Os protestos de junho de 2013 foram um atestado da insatisfação e desejo de mudança. Mas, a Copa será realizada, o Brasil vai receber um grande número de turistas e, no mundo, as atenções estarão voltadas para as doze cidades e os trinta e dois times que disputarão jogos em doze belos estádios. Seria incompreensível para os hispânicos e americanos, que dividem conosco o sul da Flórida, não haver uma iniciativa brasileira celebrando o país sede da Copa do Mundo. Portanto, vamos nos unir aos milhões de pessoas que estarão ligadas, vibrarão com os jogos e gritarão “gol” pelo mundo afora. Os problemas, nós os discutiremos em outubro, nas urnas.


*Arquiteta e presidente do Centro Cultural Brasil-USA da Flórida (CCBU)