Obama pode dar anistia a 4 milhões de indocumentados até 1° de setembro

0
2861

Presidente pode expandir o DACA e dar direitos aos imigrantes de trabalhar e permanecer nos Estados Unidos

DA REDAÇÃO COM WALL STREET JOURNAL, CNN E AL.COM

Presidente Barack Obama

O presidente Barack Obama pode usar as férias do Congresso (de 1° de agosto até a segunda semana de setembro) para agir sozinho em favor das famílias imigrantes indocumentadas que vivem no país. Os que provavelmente devem ser beneficiados são os pais dos jovens trazidos ilegalmente para os Estados Unidos e amparados em 2012 pelo DACA (Deferred Action for Childhood Arrivals). Isso somaria aproximadamente 4,4 milhões de pessoas.

Só a ideia de que isso pode acontecer durante as férias parlamentares já deixou os republicanos em alerta. Eles divulgaram que estudam a possibilidade de processar o presidente e até colocar um projeto de impeachment em discussão.

Esta semana, o The Wall Street Journal publicou informações de fontes do governo sobre as ideias que Obama vem planejando por em prática antes do feriado de Labor Day (1° de setembro). De acordo com o jornal, Obama estuda assinar outra ação executiva, como ele fez com o DACA em junho de 2012, e ampliar os direitos oferecidos aos jovens imigrantes ilegais para seus pais.

O plano seria oferecer a eles proteção contra deportação e permissão de trabalho. A mesma ação executiva também daria os mesmos benefícios aqueles cujos filhos nasceram nos Estados Unidos. Os pré-requisitos para essas famílias serem incluídas em tal ação executiva não foram divulgados.

Outra possibilidade, também divulgada pelo jornal americano, seria a ampliação de outras ações executivas em vigor nos EUA, que se baseiam no tempo de residência no país no tipo de contrato de trabalho. Essa mudança cobriria outros 1.1 milhão de imigrantes.

O assunto tem levantado polêmica, mesmo antes de Obama assinar qualquer papel. O senador republicano pelo estado do Alabama, Jeff Sessions, disse que o plano de Obama pode tirar empregos das famílias americanas que ainda sofrem com a crise. “Isso vai tirar empregos das famílias americanas que já passam por dificuldade”, disse o parlamentar.

Enquanto isso, líderes da Câmara Federal já divulgaram que estudam processar o presidente Barack Obama devido a suas ações executivas.

Se o presidente realmente assinar alguma ação executiva antes das eleições de novembro, acreditam os especialistas, isso pode mudar significativamente o rumo das eleições.  Vinte e uma das 36 cadeiras ocupadas pelos democratas no senado estarão colocadas à disposição durante as eleições de novembro. Muitos acreditam que uma ação unilateral do presidente democrata pode afetar a imagem do partido e consequentemente por em risco o comando do senado.

Na Câmara Federal, 17 cadeiras ocupadas pelos republicanos estão disponíveis no pleito de novembro. Alguns acreditam que é quase impossível para os democratas conseguirem todos esses assentos e tomarem a liderança na casa e do Senado ao mesmo tempo.
A expectativa é o voto latino, como na eleição passada que reelegeu Barack Obama. O presidente tem sido duramente pressionado pelos ativistas e parlamentares latinos depois que seu governo ganhou a fama de campeão de deportações. Os latinos estariam desiludidos e sem motivação.

A questão da imigração tem transformado a opinião pública nos Estados Unidos nos últimos doze meses. De 29% que consideravam o assunto emergencial em 2013, o número passou para 39%, segundo pesquisa liderada pela CNN/ORC International Poll.