Obama volta a prometer uma reforma imigratória ampla e abrangente

0
370

DA REDAÇÃO – Como na campanha presidencial de 2008, quatro anos depois o presidente Barack Obama prometeu uma reforma imigratória que legalize milhões de indocumentados. Mas com algumas variáveis.

Há quatro anos disse que a faria durante os primeiros doze meses de mandato; desta vez não determinou a data. Em 2008, deu como certo a mudança as atuais leis de imigração; agora reconhece que a tarefa não é fácil. Na primeira vez apostou no respaldo em bloco de seu partido; desta vez, disse que precisa do apoio da oposição. Não posso votar pelos republicanos, disse Obama durante uma conferência de imprensa. Eles terão que chegar à conclusão de que isto é bom para o país.

Obama disse que, como nos anos anteriores, vamos apresentar uma proposta, uma legislação que possamos empurrar, impulsionar e aprovar. E acrescentou que, devido ao amplo impacto que tem o fenômeno da imigração, este é um tema para todos. É um tema nacional que devemos solucionar.

Cada americano deve querer uma reforma imigratória. Temos um sistema que está quebrado, com milhões de famílias vivendo nas sombras, temerosas de ser deportadas, destacou.

Ao se referir à promessa de 2008, Obama admitiu ter ficado inconclusa, mas se defendeu ao acusar os republicanos do fracasso. A razão pela qual não pudemos realizá-la é porque o que deveria ser um acordo bipartidário para solucionar isto, acabou sendo um tema partidário, disse.

Reconhecimento a Bush

Na eleição presidencial de 2008, Obama ganhou a Casa Branca e os democratas conquistaram o poder nas duas Câmaras do Congresso. No Senado, chegaram a somar 59 votos (dois deles independentes) e precisavam de 60 para aprovar a reforma imigratória. Entre oito e 12 senadores não deram apoio aos projetos do presidente porque haviam sido eleitos em estados onde a maioria dos eleitores não apoia a legalização dos indocumentados.

Obama também reconheceu os esforços que a administração de George W. Bush (2001-2009) realizou nesta frente. Tenho de dar muito crédito a meu antecessor George W. Bush e seus assessores políticos que disseram ‘isto não deveria ser só algo que os democratas apoiem; o Partido Republicano tem interesse também, lembrou. Para o mandatário, este foi um bom conselho no passado e é um bom conselho agora.

Nos últimos seis anos, o Congresso debateu diversas vezes a reforma imigratória e outras tantas leis como o Dream Act, projeto que integra o pacote da reforma e que concede residência a milhares de jovens estudantes indocumentados que entraram como crianças nos Estados Unidos.

O fracasso dos debates em 2006 desatou um clima anti-imigrante que facilitou a discussão e aprovação, em vários estados, de leis para combater a imigração indocumentada.

O caso mais severo se registrou em 23 de abril de 2010 quando Arizona promulgou a polêmica lei SB1070 que criminalizou a estadia indocumentada, um ato que nos outros 49 estados continua sendo uma falta de caráter civil não penal.