ONG calcula que mais de 100 mil morreram em Mianmar

0
713

Número de desabrigados pode chegar a dois milhões e ajuda internacional será crucial para a população

A passagem do ciclone Nagris por Mianmar pode ter causado mais estragos do que a imprensa e as autoridades divculgaram a princípio. De acordo com a organização Save the Children, o número de vítimas fatais pode chegar a 100 mil e os desabrigados já somam dois milhões. O grupo humanitário realizou a estimativa com base nas tarefas realizadas nas áreas atingidas pelo ciclone e informou que a situação se deteriora de forma alarmante, com milhares de pessoas sem água potável, alimentos e assistência.

O trabalho voluntário da Ong é feito basicamente em três regiões na cidade de Rangun, onde há cerca de 50 mil pessoas alojadas em monastérios, escolas e igrejas. A organização distribui alimentos, cabanas e equipamentos para tornar a água potável.

41 mil desaparecidos
O governo de Mianmar divulgou que mais de 22 mil pessoas morreram em decorrência do ciclone tropical Nargis que devastou o país no sábado. De acordo com a televisão estatal, outras 41 mil ainda estão desaparecidas. O anúncio foi feito horas depois que a junta militar que governa o país aceitou que agências de ajuda internacional fossem enviadas às áreas mais afetadas pelo ciclone.

A maior parte das mortes não foi causada pela passagem do ciclone, mas por uma onda uma gigante, de aproximadamente 3,5 metros de altura. “O mar inundou metade das casas dos vilarejos. O povo não teve para onde fugir”, disse o ministro para Alívio e Reassentamento, Maung Maung Swe.

Segundo o representante da ONU para resposta a desastres, Richard Horsey, centenas de milhares de pessoas precisam de abrigo e água potável. Horsey acrescentou, no entanto, que é impossível dizer exatamente quantas pessoas foram afetadas por causa dos estragos nas estradas e na rede telefônica. A ONU e agências de ajuda humanitária enviaram equipes de avaliação para as áreas mais atingidas.