ONU calcula que 500 mil deixaram Porto Príncipe depois do terremoto

0
677

Na capital do Haiti, situação ainda é de caos e população não tem água ou energia elétrica

O terremoto que atingiu a capital do Haiti, Porto Príncipe, no dia 12 de janeiro, provocou mais do que a morte de milhares de pessoas: sofrendo também com os efeitos da tragédia, boa parte da população ainda está sem água e energia elétrica. Por isso, a Organização das Nações Unidas calcula que pelo menos 500 mil pessoas fugiram da cidade nas últimas três semanas.

Porto Príncipe está devastada e há centenas de prédios instáveis, que ainda podem desabar. Faltam alimentos, segurança e mesmo os acampamentos montados pelo governo e agências de ajuda carecem de produtos básicos. Para piorar, as duas equipes que estão à frente dos trabalhos de reconstrução – a Missão da ONU, liderada pelo Brasil, e os militares americanos que chegaram logo depois do tremor – ainda não conseguiram coordenar os esforços em prol dos desabrigados. A presença de centenas de pequenas organizações humanitárias que também estão envolvidas nas operações no país aumenta ainda mais a confusão.