Pai de mariner é deportado

0
778

Mesmo com pedido do filho, que vai lutar no Afeganistão, Juan Andres foi mandado de volta para a Guatemala

O pedido dos cinco filhos cidadãos americanos “entre eles o mariner Aspar Andres, que vai defender os Estados Unidos no Afeganistão” não foi suficiente para evitar a deportação do guatemalteco Juan Andres. Ele foi mandado de volta ao país natal, depois de dois meses tentando permanecer no país onde vive há 25 anos.

O caso de Juan teve um complicador: ele já havia sido deportado, em 1995, depois de ter sido considerado culpado das acusações de tráfico humano. Ao retornar à América, passou a viver em Kentucky, onde formou sua família e trabalhou durante anos na agricultura. Os patrões, inclusive, também enviaram cartas ao ICE (Immigration and Customs Enforcement) intercedendo pelo imigrante.

“Eu esperava que, servindo ao meu país, pudesse voltar para a casa e encontrar o meu pai. Não será a mesma coisa sem ele”, disse Aspar, lembrando que o pai tem muito orgulho do filho ser um mariner. Todos os pedidos de familiares e amigos, ressaltando o bom caráter de Juan, foram insuficientes para garantir a permanência do guatemalteco. “Nosso objetivo é o de remover os criminosos ou aqueles que têm pendências na imigração. Esse é o caso de Juan e nada pode ser feito”, disse Gail Montenegro, porta-voz do ICE.