Palestra ensina como evitar abusos da polícia

0
528

Saber como se comportar diante dos policiais é importante para garantir a segurança do imigrante indocumentado

Joselina Reis

Com muita determinação e histórias para contar vinte e dois moradores da região de Pompano Beach e Deerfield Beach se reuniram no último sábado (29) para participar da primeira palestra, organizada pelo Centro Comunitário Brasileiro (CCB), sobre direitos do imigrante. O local ainda não tem uma sala para reuniões, mas isso não impediu que todos participassem e aprendessem cinco dicas básicas de como evitar os abusos da polícia.

A maioria dos participantes, imigrantes indocumentados e documentados, tinha alguma história para relatar sobre casos de abusos da polícia, principalmente em Broward. Os brasileiros reclamam que, mesmo sem ter poder de polícia de imigração, os policiais civis, ao contrário do que afirmam, abordam pessoas sem motivo aparente, prendem sem mandado de busca e fazem batidas em áreas visadas em Pompano e Deerfield.

Entre as dicas de como se evitar os abusos da polícia, a palestrante, a voluntária da ONG Florida Immigrant Colalition (FLIC), Grey Torrico, enumerou: 1) se for pego pela polícia, não assine nenhum documento; 2) reserve-se o direito de se manter em silêncio em caso de batida policial; 3) se interrogado, não minta; 4) lembre-se que você tem direito a um advogado e 5) não abra a porta de sua casa para a polícia sem que eles tenham um mandado de busca e apreensão assinado por um juiz (verifique a data e se a assinatura é a caneta ou apenas uma cópia).

Histórias

Até mesmo Grey Torrico tinha suas próprias histórias para contar. Americana, filha e irmã de imigrantes indocumentados, ela lembra já ter sido parada quatro vezes por policiais que pediam seus documentos. “Só pode ser por causa da minha fisionomia de imigrante”, acredita.

Durante a palestra, quem não relatou sua própria história de imigrante, conhecia quem já passou por alguma situação difícil. A última novidade na “busca” por imigrantes ilegais seria o uso das páginas sociais como o facebook. A imprensa da região de Massachutes já narrou o mesmo caso há alguns meses.

Segundos relatos de alguns participantes na palestra, recentemente policiais teriam feito batidas em casas de região predominantemente de brasileiros em Pompano Beach e até comentado detalhes das fotos vistas na página social. Alguns participantes denunciaram ainda a infiltração de policiais na comunidade com a finalidade de conhecer possíveis ilegais e direcionar as futuras batidas obtendo maior sucesso com grande número de prisões.

Vale lembrar que os centros de detenção para imigrantes são privados e a empresa administradora recebe recursos federais de acordo com o número de ilegais presos. Uma vez lá dentro, muitos reclamam de maus tratos, lentidão da justiça e intransigência por parte das autoridades de imigração.