Palm Beach pode ter aulas de Português em escola pública

0
657

Objetivo é espelhar-se no projeto bem sucedido da escola Ada Merritt de Miami

A Associação Americana de Professores de Língua Portuguesa (AOTP) quer implementar o ensino de português em escolas públicas do condado de Palm Beach. Uma petição e enquete foram lançadas pela entidade e podem ser assinadas online até o dia 1º de setembro. O resultado vai ser levado até o Departamento Multicultural de Educação e Conselho de Diretores do Sistema Educational em Palm Beach.

O projeto, conta a presidente da AOTP, Anete Arslanian, prevê duas opções de ensino. O primeiro é a criação do programa bilíngue (Português-Inglês) desde as séries iniciais nas escolas públicas do condado de Palm Beach e o outro é a aula opcional de português para Middle e High School.

A presidente da AOTP revela que as negociações com o distrito escolar de Palm Beach começaram em novembro do ano passado. A ideia tem apoio do Centro Cultural Brasil-USA (CCBU) da Flórida e do Brazilian Business Group.

A enquete, que pode ser preenchida online, foi criada para membros da comunidade, independente do local de residência, que tenham filhos e interesse em matriculá-los em programas de português em Palm Beach. A petição, por outro lado, pode ser assinada por todos os membros da comunidade que apoiem a criação de programas de português no condado de Palm Beach. O link para a enquete é www.surveymethods.com/EndUser.aspx?BA9EF2EBBAF8E8EEB0 e o link para a petição é www.change.org/petitions/establish-a-dual-language-english-portuguese-program-and-elective-portuguese-classes.

Ada Merritt é sucesso em Miami

O projeto em Palm Beach tem como exemplo o sucesso do ensino bilíngue na escola de ensino fundamental Ada Merrit, em Miami – a única escola pública a oferecer o programa bilíngue e bicultural, Português-Inglês, desde 2003. A carga horária escolar é dividida entre 60% em inglês e 40% oferecida em português. Em Miami, o projeto que teve iniciativa do Departamento de Educação do Condado de Miami-Dade com apoio do CCBU, levou quatro anos para ser concretizado.

Adriana Sabino, presidente do CCBU, lembra que o projeto teve um começo difícil. “Primeiro tivemos que educar os pais sobre a necessidade e importância de aprender duas línguas”, revela. Ela conta que agora a escola é referência no assunto e os pais aprovam a ideia. Na Ada Merrit, as professoras de conteúdo em português criaram todo o material e quando a primeira turma de ensino fundamental foi finalizada todos os alunos falavam fluentemente inglês e português.