Passeata em Los Angeles pela reforma imigratória

0
1007

Grupos defensores dos direitos dos imigrantes pedem que parem as deportações

Centenas de pessoas participaram neste sábado (22) de uma passeata pelas ruas de Los Angeles, Califórnia, para exigir a suspensão das deportações e a aprovação de uma reforma imigratória integral este ano.

Com um dos mais baixos níveis de participação das últimas passeatas, a mobilização deste sábado foi convocada pela Coalizão pelos Direitos Plenos de Imigrantes por uma Reforma Imigratória.

“Precisamos alertar que estamos em um pior momento do que em 2006, quando milhões saíram para protestar pelas ruas dos Estados Unidos”, considerou Raúl Murillo, da Irmandade Mexicana Nacional.

“As pessoas têm de entender que precisamos continuar protestando porque há mais de dois milhões de deportados com a administração do presidente Barack Obama e um número recorde de famílias separadas”, afirmou Murillo.

“Por isto pedimos ao Congresso que antes das eleições de 2014 resolva a reforma imigratória que legalize 11 milhões de imigrantes
indocumentados e não até 2017, como se está especulando”, acrescentou o ativista.“Ao mesmo tempo, exigimos do presidente Barack Obama que cumpra sua palavra de que está com os imigrantes e emita uma ordem executiva que pare as deportações”, enfatizou.

Francisco Moreno, diretor de comunidades do Conselho de Federações Mexicanas (Cofem), lembrou que continua havendo uma “velinha de esperança” de uma eventual reforma imigratória, portanto é preciso continuar lutando.

O presidente do Conselho Binacional de Organizações Comunitárias, Roberto Bravo, destacou que, embora tenha havido pouca participação na passeata, “este grupo representa os 11 milhões de indocumentados do país”.

A diretora da Irmandade Mexicana Trasnacional, Gloria Saucedo, convocou o povo imigrante a não baixar os braços e manter-se unido na luta.

“Há muita gente e até organizações latinas que dizem que estas passeatas não servem mais, mas na história os grandes movimentos registraram mobilizações e protestos”, sustentou.

Ela lembrou ainda que “temos cinco milhões de crianças vivendo na angústia e na tensão com o risco de ficarem separadas de seus pais indocumentados e por elas é preciso se fazer a reforma”.

Entre os manifestantes estava a menina Jessi Vargas, de 10 anos, cujo pai está a ponto de ser deportado para o México.
“Vim aqui com meus irmãozinhos pedir ao presidente Obama que pare as deportações e para lhe dizer se ele pensou o que faria se o separassem de suas filhas por causa de leis imigratórias injustas”, afirmou a menor.

Seu pai, Mario Vargas López, que tinha dois trabalhos para manter seus cinco filhos, foi detido quando ia para um de seus empregos e entregue às autoridades imigratórias.