Pesquisa: maioria apóia caminho para a cidadania

0
399

Apesar do apoio, base do Partido Republicano ainda está indecisa

Pesquisa: maioria apóia caminho para a cidadania

Uma clara maioria de americanos apóia um caminho para a cidadania para os 11 milhões de indocumentados que vivem nos Estados Unidos, mas seis em 10 republicanos se opõem a esta medida, criando um difícil desafio para os legisladores do partido.

Cinquenta e sete por cento dos entrevistados na pesquisa realizada esta semana pelo Washington Post/ABC News disseram acreditar que deve ser criada alguma maneira para legalizar aqueles que vivem aqui ilegalmente e assim obter a cidadania. Mas este número é alto por causa dos democratas (cerca de três quartos apóiam a medida) e independentes, 58 por cento dos quais são favoráveis à medida. Em contrapartida, 60 por cento dos republicanos se opõem a isto, com somente 42 por cento identificando-se como “conservadores” e 37 por cento deles se denominando “muito conservadores” apoiando a medida.

O apoio é especialmente alto entre os grupos minoritários que ajudaram na reeleição do presidente Obama, e foram identificados como alvos por um relatório do Comitê Nacional Republicano divulgado no mês passado sobre a expansão da base do partido.
Dos pesquisados, 69 por cento dos não brancos, incluindo oito em 10 hispânicos e dois terços dos negros apoiavam um caminho para a cidadania. Mas apenas 51 por cento dos brancos apoiavam este plano, deixando uma escolha difícil para os parlamentares republicanos preocupados sobre o potencial deste principal desafio.

Outras disposições da reforma de imigração são mais populares. Controle mais rigoroso da fronteira angariou o apoio de oito entre 10 eleitores, enquanto 72 por cento apoiaram vistos adicionais para trabalhadores com alta qualificação. Nenhuma das propostas mostrou uma divisão partidária, evidenciando um apoio amplo e bipartidário às medidas.

Houve, entretanto, algumas divisões demográficas naquelas questões. Somente seis em 10 hispânicos apoiaram aumento na proteção da fronteira, bem aquém ao dos demais grupos. Igualmente, apenas 56 por cento dos negros apóiam um programa expandido para trabalhadores capacitados, apesar do apoio geral.