Pesquisa mostra que garçons e cozinheiros ganham melhor no sul da Flórida

0
18037

Empregos do setor de restaurantes, em Broward, Miami-Dade e Palm Beach, são os únicos com pagamentos acima da média nacional

DA REDAÇÃO (com Sun Sentinel) – Muitos empregos no sul da Flórida pagam menos do que a média nacional, mas um setor, o de funcionários de restaurantes, como garçons e cozinheiros, foge a essa regra. Esses são os únicos empregos nos condados de Broward, Miami-Dade e Palm Beach, que registram pagamentos acima da média nacional. Os dados são de uma pesquisa conduzida pelo U.S. Bureau of Labor Statistics, divulgada na terça-feira (3).

Na região, garçons e garçonetes ganham, em média, $10.25 pela hora trabalhada, valor mais alto do que a média nacional, que é de $10.04. Funcionários de redes de fast food nos três condados também recebem mais do que em outros lugares dos Estados Unidos: em média $9.45 contra $9.07. Isso não acontece com outras categorias, como contadores, enfermeiros, pedreiros, empregadas domésticas, recepcionistas, vendedores, seguranças e agentes de transporte. Todos esses empregos pagam menos no sul da Flórida do que no resto do país.

Pedreiros, por exemplo, ganham em média $13.78 por hora no sul da Flórida, valor que contrasta com os $16.84 pagos na média nacional. O valor representa, no fim do mês, um ganho de $120. Enfermeiras ganham no sul da Flórida $31.09 contra $33.13.

A valorização do trabalho de funcionários do setor de restaurantes na região ocorre, em grande parte, porque o sul da Flórida tem uma indústria de serviços que paga menos no que outros setores, estima o economista professor da Florida Atlantic University William B. Stronge. Ele afirma que a região nunca teve um setor forte de empregos ligados à manufatura, que tende a oferecer melhores remunerações.

Clientela rica
Empresários donos de restaurantes acreditam que que garçons e cozinheiros ganham mais por aqui por estarem em uma região com alta demanda por seus serviços. “É um mercado altamente competitivo”, diz o proprietário de restaurantes Elliot Wolf, que estima que garçons façam, apenas em gorjetas recebidas na hora do almoço, $100 por dia. “E no jantar é bem mais do que isso”, afirma. “A clientela recompensa por bons serviços.”

Para o garçom Sean Nathan, que trabalha em um restaurante em Delray Beach, o alto poder aquisitivo dos moradores da região também influencia nos bons rendimentos de quem trabalha em restaurantes. “As pessoas são mais generosas”, afirma.

Integrantes das brigadas de cozinhas também ganham melhor no sul da Flórida. Um chef, por exemplo, recebe em média $25.36 por hora trabalhada, valor superior aos $22.42 pagos na média nacional. Essa diferença, ao fim de um ano, significa um salário anual de $55,530 pagos a um chef floridiano, cifra $9 mil mais alta que os $46,620 pagos em outras regiões.