Pesquisa revela que brasileiro trabalha cinco meses do ano só para pagar impostos

0
528

Instituto aponta que são necessários 151 dias no Brasil e 89 nos Estados Undios

ImpostosDA REDAÇÃO COM UOL – O Brasil é famoso internacionalmente por sua alta carga tributária que faz com que milhares de brasileiros “fujam” do país para fazerem compras no exterior todos os anos. O Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBTP) divulgou esta semana que o brasileiro pagará de impostos neste ano o equivalente ao que ganhou durante 151 dias, ou cinco meses de trabalho (de 1º de janeiro até 31 de maio). O que quer dizer que hoje (23) o brasileiro ainda está trabalhando só para pagar imposto.

O IBPT também fez uma lista que mostra a quantidade de dias de trabalho necessários por ano para pagar impostos em 28 países. O Brasil aparece em oitavo lugar nessa lista e os Estados Unidos em 26º, sendo necessários 89 dias de trabalho para pagar impostos na América.
De acordo com o presidente executivo do IBPT, João Eloi Olenike, o brasileiro deverá destinar 41,37% do seu rendimento bruto para pagar os tributos. No ano passado, foram 41,1%.

A conta inclui todos os tributos (impostos, taxas e contribuições) cobrados pelo governo federal, Estados e municípios. São itens como Imposto de Renda, IPTU, IPVA, PIS, Cofins, ICMS, IPI, ISS, contribuições previdenciárias, sindicais, taxas de limpeza pública, coleta de lixo, iluminação pública e emissão de documentos.

Nos anos de 2013 e 2012, o brasileiro destinou 150 dias de trabalho para pagar impostos.

O estudo faz um comparativo com dezenas de países que possuem elevadas cargas tributárias. “O Brasil exige que o cidadão trabalhe mais do que os habitantes de países como a Hungria, onde são necessários 142 dias para o pagamento de impostos; a Alemanha, com 138 dias; e a Bélgica, onde a média é de 112 dias de trabalho”, afirma Olenike.

A quantidade de dias trabalhados no Brasil se aproxima da Noruega, país em que o cidadão destina 154 dias de trabalho. O presidente do IBPT destaca, porém, que a população daquele país tem melhor qualidade de vida do que a brasileira.