Pesquisas e livro ressaltam a importância de se dormir bem

0
512

No dia 21 de março “comemora-se” o Dia Mundial do Sono.

Aproveitando a ocasião para incentivar melhores noites de sono, uma pesquisa patrocinada pelo laboratório farmacêutico Roche, que deve ser divulgada em abril, revelará que 43% dos brasileiros apresentam sinais de cansaço durante o dia em decorrência de uma má noite de sono. Os dados preliminares mostraram ainda que a qualidade do sono apresenta algum tipo de comprometimento na vida de 53,9% da população. Cerca de 43 mil pessoas participaram do levantamento.

Foi pensando nesses resultados que uma equipe multidisciplinar, a maior parte formada por profissionais do Hospital Albert Einstein, escreveu o livro “Durma bem, viva melhor” (MG Editores, 96 pp., R$ 24,90), abordando a origem dos distúrbios do sono e os procedimentos corretos para exames e tratamentos.

“É crescente o número de pessoas que estão descobrindo que sofrem das chamadas ‘doenças do sono’. Elas se conscientizaram da necessidade de tratar algo que pode ser mais sério do que um mal-estar corriqueiro ou característico da idade”, explica o otorrinolaringologista Pedro Luiz Mangabeira Albernaz, organizador da obra.

Tanto questionamentos básicos quanto dúvidas mais específicas sobre o desconforto causado por noites mal dormidas são respondidos no livro. Os textos trazem dicas de como identificar os problemas e ressaltam a necessidade de tratar sintomas que impedem o “sono reparador”. Aspectos técnicos também são apresentados, com o auxílio de ilustrações e gráficos.

A relação do sono com os sonhos pela viés da psicologia está no capítulo “O sono e o sonho”, assinado por Andrea Pen Mangabeira Albernaz, que cotextualiza o sonho com base na mitologia grega e mostra o posicionamento das principais linhas de estudo diante da questão. Já o capítulo “O sono normal”, de Pedro Paulo Porto Junior, trata dos estágios do sono e de suas interferências no organismo, além de alterações sofridas com a idade.

A neurofisiologista Stella Tavares explica no texto “Avaliação dos distúrbios do sono” como são feitos os exames nos chamados “laboratórios de sono”, cuja tecnologia permite estudar os períodos do sono e fazer testes com a ajuda de um computador, detalhando cada etapa do período dormido até apontar o que provoca o desconforto.

Em “Insônia”, Porto Junior trata dessa grande vilã do sono. “Pessoas com insônia são mais afetadas por problemas psiquiátricos, como depressão e ansiedade, e são mais propensas a hipertensão e diabete”, explica ele. Algumas vezes, a insônia ocorre como uma perturbação passageira, mas quando se torna freqüente deve-se visitar o médico e estudar suas causas. Geralmente está ligada ao estresse, à depressão ou ao uso de medicamentos.

Em parceria, Pedro Luiz Mangabeira Albernaz e a neurorradiologista Márcia Carmignani escreveram o capítulo “A apnéia do sono”, sobre esta grave doença do sono, em que paradas respiratórias podem causar danos irreversíveis devido à interrupção na oxigenação do cérebro. “A maioria das pessoas desconhece que a apnéia do sono é tão séria que pode afetar o coração”, esclarece Mangabeira. Os vários tipos de apnéia, suas causas e conseqüências, bem como seus possíveis tratamentos, estão detalhados nesse capítulo, que traz ainda um questionário para avaliar se o leitor sofre desse mal.

Em “Distúrbios de sonolência excessiva e narcolepsia”, a médica Stella Tavares aborda as complicações provocadas pelo sono sem controle. “A sonolência excessiva deve ser investigada sempre pois, além de ser um sinal de alerta para a apnéia, pode trazer muitos problemas para o paciente, como o aumento do risco de acidentes, dificuldades no trabalho, mau rendimento na escola e desajustes familiares”, afirma.

Pesadelos, sonambulismo, delírio noturno, câimbras musculares e outras ocorrências menos conhecidas são tratadas por Porto Junior em “Comportamentos anormais durante o sono”. Nesse artigo, cataplexia, bruxismo, crises convulsivas, ereção peniana dolorosa e terror noturno são alguns exemplos de estados perturbadores explicados em tópicos de fácil entendimento.

O último capítulo do livro, “Higiene do sono”, ensina passo a passo as medidas favoráveis para uma boa noite: o que deve ser evitado, períodos que devem ser resguardados antes ou depois do sono, além de outras providências para garantir uma noite tranqüila e revigorante.

Os autores

Pedro Luiz Mangabeira Albernaz, organizador do livro, é otorrinolaringologista do Hospital Israelita Albert Einstein e professor titular de Otorrinolaringologia da Unifesp ­ Escola Paulista de Medicina. É presidente da Associação William House de Ontologia e membro do Collegium Oto-rhino-laryngologicum Amicitiae Sacrum.

Pedro Paulo Porto Junior é neurologista do Hospital Israelita Albert Einstein. É também membro do American Academy of Neurology e da American Stroke Association.

Stella Tavares é neurofisiologista do Hospital Israelita Albert Einstein. Andrea Pen Mangabeira Albernaz é psicóloga clínica, e Márcia Carmignani é neurorradiologista do Hospital Israelita Albert Einstein.

“Durma bem, viva melhor”
Organizador: Pedro Luiz Mangabeira Albernaz
Editora: MG Editores
Páginas: 96
Quanto: R$ 24,90
Onde comprar: Nas principais livrarias, pelo telefone 0/XX/11/3865-9890 ou pelo site da MG Editores.