Polícia fecha o cerco aos imigrantes

0
477

Brasileiro será deportado depois de ter avançado o sinal vermelho em Fort Lauderdale

O cerco está fechando para os indocumentados. Brasileiros do sul da Flórida denunciaram que policiais têm estacionado seus carros na porta de alguns condomínios onde vivem muitos estrangeiros e, aleatoriamente, solicitam identificação dos motoristas tão logo os veículos passam do portão de entrada. Além disso, qualquer infração de trânsito, por menor que seja, pode resultar em muita dor de cabeça, pois agentes de imigração são chamados imediatamente pelos policiais locais.
Com o pernambucano Cícero Ferreira da Silva, que trabalha na Murano Auto Sales, aconteceu algo assim. Ele ultrapassou um sinal vermelho na Oakland Park Boulevard, em Fort Lauderdale, e foi parado por um policial do Broward’s Sheriff Office. Ao perceber que o brasileiro estava com a habilitação irregular, o policial não pensou duas vezes e algemou o rapaz, chamando imediatamente os agentes de imigração. Resultado: Cícero ficou nove dias detido na unidade Pompano Beach e, provavelmente, será deportado nos próximos 12 meses, depois de quatro anos de sua aventura na América.
“Estou conformado, até porque está difícil viver nos Estados Unidos assim, indocumentado. Mas acho que o meu caso pode servir de alerta para a comunidade brasileira, pois as autoridades estão de olho em qualquer deslize”, disse Cícero, já em casa depois de pagar dez mil dólares de fiança. O comparecimento à Corte deve acontecer em, no máximo, seis meses. A volta para Belém de Maria, a 150 km da capital Recife, não vai passar de 2008.
No escritório do advogado criminalista Alfredo Jurado as estatísticas confirmam que os tempos estão bicudos para os imigrantes. “Até poucos meses atrás costumávamos prestar assistência a dois ou três brasileiros por mês com problemas desse tipo, mas agora atendemos pelo menos cinco por semana, ou seja, uma média de um por dia”, conta Solange Souza, assistente legal de Jurado. Ela relembra que há algumas semanas pelo menos quatro pessoas ligaram para o escritório porque estranharam a presença constante de policiais na porta de determinados condomínios, solicitando documentação. “Não há qualquer lei que impeça esse tipo de ação policial, mas é um constrangimento que vem recebendo críticas da sociedade, mesmo de americanos”, completa Solange.

Leia na edição do AcheiUSA o complemento dessa matéria:
– Operação em Greenport irrita moradores (Imigrantes foram presos por tabela, sem mandado judicial)
– No Arizona, infração no trânsito acaba em morte (Mexicano em fuga foi atingido por tiro disparado por policial)
– Carteiras internacionais na mira da polícia (Documentos são vendidos por menos de 100 dólares)