Pressão contra nova prisão para indocumentados na Flórida

0
457

A construção de um presídio para indocumentados em uma luxuosa zona da Flórida colocou em pé de guerra os vizinhos do local, e também as organizações que defendem os direitos dos imigrantes. Uns temem que suas propriedades percam valor, outros protestam pelos esforços do governo federal de construir o maior centro deste tipo no país em vez de batalhar por uma reforma imigratória abrangente.

Na zona selecionada para levantar a prisão é possível ver pavões e os caminhos para andar a cavalo, divulgou The Associated Press. Moradores da área asseguram que os líderes de Southwest Ranches esconderam seus planos durante quase uma década. E agora o problema cresceu tanto que parece impossível detê-lo.

Southwest Ranch é um subúrbio de Fort Lauderdale. A localidade teria de pagar $150 mil anuais para manter o presídio, mas os funcionários dizem que a zona teria um lucro no final: 4% do que o Serviço de Imigração e Controle de Alfândega dos Estados Unidos (ICE) pagará aos operadores da prisão para manter os presos ali, imigrantes indocumentados.
Protestos em setembro

Nos primeiros dias de setembro, estudantes e líderes comunitários participaram de um protesto contra a construção do cárcere localizado 51 km a noroeste do centro de Miami.

A manifestação foi convocada pela Coalizão de Imigrantes da Flórida (FLIC) e o grupo Estudantes Trabalhando pelos Direitos Igualitários (SWER), que pressionam para deter a autorização emitida pelo Conselho Municipal de Southwest Ranches, que permitiu à empresa Corrections Corporation of America (CCA) construir um centro penitenciário com capacidade para 2,000 camas. A FLIC diz que o governo federal pagará a CCA $89 milhões para operar as instalações.

Os manifestantes contrários ao presídio de Southwest Ranch não são os únicos a rechaçar o projeto. A decisão do Conselho municipal vem sendo alvo de fortes críticas por parte dos vizinhos. Eles temem que o presídio de imigrantes aumente o tráfego na área, baixe o valor de suas propriedades e use recursos públicos. Os habitantes da área exigem que as autoridades cancelem os planos.