Pressionado, pastor evangélico cancela ato anti-islâmico

0
728

Jones (foto), no entanto, diz que fez acordo para impedir construção de mesquita em New York

Depois de apelos do presidente Barack Obama e até do Papa Bento 16, o pastor Terry Jones, de uma igreja evangélica da Flórida, desistiu de fazer uma fogueira com cerca de 200 exemplares do Corão, o livro sagrado do Islã. A cerimônia seria realizada neste sábado, o que vinha preocupando o Departamento de Estado americano, que emitiu um alerta sobre a possibilidade de atentados terroristas no fim de semana.
Diante de sua igreja, o pastor comunicou sua decisão, mas revelou que ela vem a reboque de um acordo negociado com líderes islâmicos americanos (que não confirmaram o que Jones disse), para cancelar a construção de uma mesquita e de um centro cultural islâmico no Marco Zero, em New York, local onde ficavam as torres do World Trade Center. O dia escolhido para queimar os exemplares do Corão foi exatamente no nono aniversário dos ataques terroristas de 11 de setembro.
O recuo de Jones ocorre após grande pressão internacional contra o ato que, segundo ele, tinha o objetivo de protestar contra o radicalismo islâmico e sua crescente influência na agenda política americana. O anúncio da queima dos livros gerou protestos do governo americano, de governos estrangeiros e de várias entidades.