Professora especial: brasileira dedica-se ao ensino de crianças cegas

0
1533

Educadora Cristiane Martins prepara alunos com deficiência visual

Há 18 anos, a brasileira Cristiane Martins vive com o marido e os filhos nos Estados Unidos, e boa parte desses anos ela se dedicou a ensinar. Professora apaixonada pelo que faz, a co-fundadora da Fundação Vamos Falar Português (VFP), organização não governamental que propaga o ensino do português no Sul da Flórida, Cristiane agora se dedica a ensinar crianças especiais, com deficiência visual. O trabalho da educadora consiste em preparar o aluno para frequentar uma sala de aula “normal”, ensina o braile, a manejar a bengala, auxilia em matérias que o aluno tem dificuldade e fornece as ferramentas necessárias que ele precisa para aprender como qualquer outro aluno, apesar de não enxergar.

Ainda em recuperação após um problema de saúde, Cristiane está retomando aos poucos o trabalho com essas crianças e relata ao AcheiUSA sua experiência com crianças especiais que, segundo ela, é muito gratificante. “Tenho um aluno muito esperto que nunca enxergou e é ótimo em matemática e se sai muito bem na escola. É um trabalho que me ensina muito”, diz. Confira a entrevista abaixo com a educadora.

AcheiUSA – Como vc veio para os EUA, há quanto tempo vive aqui?
 Cristiane Martins – Vim com meu marido para Miami em 1988 e moramos por um ano. Depois voltamos em 1995 com dois filhos bebês e estamos aqui até hoje, esse ano fez 18 anos que estamos por aqui.

AU – Como surgiu o trabalho com crianças especiais?
CM – Sou formada em Educação Especial aqui nos Estados Unidos e trabalhei em high school como Educadora Especial até o ano passado. Nunca pensei em me tornar professora e muito menos professora de crianças especiais, formação que não existe no Brasil, mas quando comecei a faculdade me apaixonei por essa carreira e quis continuar meus estudos nessa direção. 

AU – Como é esse trabalho com crianças cegas?
CM – Ao terminar o mestrado em Deficiência Visual este ano, comecei a trabalhar somente com crianças com deficiências visuais nas escolas de Miami Dade. É realmente gratificante! Ensinar o braille e técnicas de uso da bengala, se necessário, ensinar ferramentas para a criança se tornar um adulto independente e produtivo, orientar a criança a seguir a profissão desejada, trabalhar a auto-estima e introduzir tecnologias são algumas das minhas funções como professora de crianças com deficiência visual e instrutora de orientação e mobilidade. 

AU – Vc pensa em desenvolver o trabalho com crianças especiais na fundação?
CM – Além de co-fundadora da VFP, sou a coordenadora geral do programa de aulas gratuitas de português e dou o apoio à crianças especiais do nosso programa. Temos um projeto para crianças especiais que não se adaptam a inclusão para acontecer ainda este ano. Estamos procurando professores especiais, que sejam brasileiros, para se unir a nós. 
O programa vem se expandindo com muito sucesso no sul da Flórida. Hoje temos quatro núcleos (Miami, Miramar, Boca Raton e Wellington) com previsão de abrir em Pompano Beach ainda este ano.  

AU – Como você se sente em poder ajudar as crianças especiais?
CM – Amo o que faço, ser professora já é uma profissão muito gratificante, ser professora especial é um aprendizado a cada dia. Com certeza, aprendo com meus alunos muito mais do que ensino!

“Amo o que faço, ser professora já é uma profissão muito gratificante, ser professora especial é um aprendizado a cada dia! Com certeza, aprendo com meus alunos muito mais do que ensino.”

— Cristiane Martins