Quênia faz nova dobradinha na São Silvestre

0
697

Pódio da prova masculina é dominado pelo país africano, que também tem a campeã entre as mulheres. Giovani dos Santos, em quarto, é o melhor do Brasil no evento


A 89ª edição da São Silvestre teve participação recorde: 27,500 corredores

Da redação com globo.com – A supremacia queniana na São Silvestre ganhou dois novos capítulos na manhã da terça-feira (31). Líder absoluta a partir da segunda metade da prova, Nancy Kipron resistiu à ameaça etíope na reta final e conquistou seu primeiro título em São Paulo com o tempo de 51m58s. Minutos depois, o compatriota Edwin Kipsang cruzou a linha de chegada em 43m48s para confirmar o bicampeonato entre os homens, acompanhado de outros dois quenianos.


Vencedores da prova masculina: os quenianos Kipsang, Korir e Koech

Sueli Silva e Giovani dos Santos, os melhores brasileiros

Entre os brasileiros, Sueli Silva, em sexto, e Giovani dos Santos, em quarto, foram os melhores colocados. “Estou satisfeito com o resultado da corrida. Fui com os quenianos até onde deu, e teve um momento em que cheguei a encostar. Achei que dava para pegar o terceiro lugar, mas senti um problema na panturrilha, e graças a Deus consegui chegar em quarto. A gente vem trabalhando muito, os resultados estão aparecendo, e a nossa hora vai chegar. Achei que seria o terceiro nesta terça-feira, mas senti a panturrilha na subida e isso dificultou um pouquinho”, disse Giovani, em entrevista à TV Globo.

Com o resultado, o Quênia isola-se ainda mais no ranking geral de vitórias da São Silvestre. O país africano possui 25 títulos contra 16 do Brasil. O jejum verde-amarelo agora dura três anos na prova masculina e sete na feminina. Os últimos campeões da casa no evento foram Marílson Gomes, em 2010, e Lucélia Peres, em 2006.

Vencedora da Corrida de Reis no início do ano e tricampeã da Volta da Pampulha, Kipron abriu larga vantagem sobre as rivais. Não havia nenhuma concorrente à vista, mas o cansaço fez a corredora olhar para trás com frequência para conferir se a margem continuava larga.

Exausta, ela viu a aproximação perigosa da rival etíope Kebede Gudeta justamente na Avenida Paulista. A chegada, no entanto, estava próxima o suficiente para garantir a vitória em 51m58s.

No masculino, estratégia de equipe do Quênia

Entre os homens, Giovani dos Santos foi o único brasileiro a manter-se no pelotão principal durante os 15 km de percurso. Mas o jogo de equipe queniano ficou evidente o tempo todo, com três atletas do país africano revezando-se na ponta. O mineiro até se arriscou em um sprint, mas não manteve o ritmo e viu Edwin Kipsang, vencedor da prova em 2012, arrancar na liderança. Com folga na ponta, ele completou o trajeto em 43m48s. Os compatriotas Mark Korir e Stanlei Koech chegaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

Entre os cadeirantes, os primeiros a largarem na manhã da terça-feira (31), Aline dos Santos Rocha foi a mais rápida entre as mulheres, enquanto Jaciel Antonio Paulino cruzou a linha de chegada em primeiro lugar na categoria masculina.

A edição 2013 da Corrida de São Silvestre em São Paulo teve recorde de participantes: 27,500 corredores entre profissionais e amadores.