Raios assustam a Flórida

0
1388

Fenômeno acontece 1,4 milhão de vezes ao ano no estado

Nos últimos dias quatro incidentes envolvendo relâmpagos deixaram preocupados os moradores do sul da Flórida. No caso mais grave e inusitado, uma mulher e seu filho foram atingidos pela descarga elétrica dentro do carro, enquanto trafegavam pela rodovia 595 em meio a uma tempestade tropical. O fato surpreendeu a muitos e fez com que especialistas confirmassem que, durante a temporada de chuvas, não há lugar completamente seguro para se proteger dos raios.
A Flórida registra uma média anual de 1,4 milhão de relâmpagos, de acordo com o Serviço Nacional de Meteorologia. A maioria deles simplesmente atinge o solo, mas outros podem acertar árvores, casas, aviões, barcos e até pessoas. Há menos de dois meses, um jardineiro foi morto por um relâmpago, em Coral Springs. Todos os anos são nove mortes no estado por este fenômeno.
Nos incidentes ocorridos recentemente, os raios também atingiram um posto de gasolina em Miramar, danificando o teto do estabelecimento, uma casa em Weston, que teve as janelas quebradas, e outro carro que trafegava pela I-75. “O mais surpreendente é que os relâmpagos aconteceram num espaço de tempo muito pequeno entre um e outro, o que é incomum”, disse o tenente Eddy Ballester, do Corpo de Bombeiros de Miami-Dade.
Muitos pensavam que o carro seria o local mais seguro para ficar em caso de trovoadas. No entanto, vale citar a palavra de um expert: “Os raios procuram o caminho mais curto e de menor resistência até chegar ao solo. A carroceria de metal dos carros não impede a passagem de eletricidade e nem mesmo os pneus de borracha podem impedir isso”, explicou Matt Bragaw, do Serviço Nacional de Meteorologia.
Segundo ele, o lugar ideal para ficar ainda é dentro de casa ou prédios. Mesmo assim, Bragaw aconselha que as pessoas evitem usar telefones com fio e beber água e desliguem aparelhos elétricos. “A descarga atmosférica pode viajar pelas linhas telefônica e pelas telas metálicas do concreto.
Outro detalhe curioso – e assustador – sobre os relâmpagos na Flórida remete a 1993, quando o serviço nacional de meteorologia registrou a maior tempestade de raios da história: foram mais de cinco mil raios por hora, durante um dia inteiro. E, ao contrário do ditado popular, um segundo raio tem muitas chances de cair no mesmo lugar que o primeiro, por causa do campo elétrico carregado.