Recessão atinge a Argentina

0
754

Número de pobres no país é o mesmo de 2001, época da crise

A inflação alta e o aumento do desemprego estão elevando o número de pobres na Argentina aos mesmos patamares de 2001, durante a grave crise econômica. Tanto naquela época quanto agora, mais de 11,5 milhões de pessoas no país vivem em situação de pobreza. O governo de Cristina Kirchner, no entanto, informa que o número é bem menor.

Desde o segundo semestre de 2006, mais de dois milhões de pessoas desceram abaixo da linha da pobreza. A principal causa da pobreza foi a inflação, mas contribuiu para o fato a queda a quase zero na geração de empregos. “A combinação tem sido cruel com a economia argentina”, explicou o especialista Ernesto Kritz. Sua estimativa é de que no primeiro semestre deste ano 32,3% da população podiam ser considerados pobres.