Remessas para o Brasil cresceram 114% desde 2000

0
889

Valor enviado ao Brasil neste ano já passou dos US$ 3 bi.

Um relatório do Banco Mundial divulgado nesta semana mostra que as remessas de dinheiro enviadas para o Brasil por pessoas no exterior cresceram em torno de 114,5% entre 2000 e 2006.
Há seis anos, o montante de dinheiro enviado ao Brasil era de aproximadamente US$ 1,6 bilhão (R$ 3,4 bi), mas deve chegar a US$ 3,5 bi (R$ 7,5 bilhões)

O estudo também revelou que as remessas de dinheiro enviadas ao exterior para os países em desenvolvimento, em 2006, devem apresentar um crescimento de mais de 134% no mesmo período.

“Somente contando remessas registradas enviadas por estrangeiros vindos de países em desenvolvimento, nós antecipamos um valor total de US$ 199 bilhões (R$ 430 bi) em 2006, em comparação com R$ 188 bilhões (R$ 406 bi) em 2005”, explicou Dilip Ratha, economista do Grupo de Perspectivas de Desenvolvimento do Banco Mundial.

“Se nós incluirmos também as transações não contabilizadas, que acontecem através de canais formais e informais, esse valor é ainda maior fazendo das remessas a maior fonte de financiamento externo para muitos países em desenvolvimento”, afirmou Dilip.

Mercado com potencial

Com um crescimento praticamente dobrando nos últimos cinco anos, o mercado de remessas de dinheiro para o exterior passou a chamar a atenção dos bancos que querem capitalizar com o processo.

De acordo com uma matéria publicada no jornal britânico Sunday Times, as instituições bancárias passaram a prestar atenção no crescimento do setor, com o contínuo aumento do envio de dinheiro para os países em desenvolvimento feito por milhões de imigrantes, que muitas vezes superam investimento multinacional e ajuda de governos.

Mesmo considerando que cada pessoa morando no exterior envie uma média de R$ 4,1 mil, segundo o Times, analistas dizem que o mercado ainda tem muito potencial para crescimento, e que os valores para transferência – ainda considerados muito altos – devem cair com a entrada de novas empresas no setor.

Levando em conta as transferências para todos os países, as remessas se aproximaram de US$ 268 bilhões (R$ 579 bi), em comparação com US$ 132 bilhões (R$ 235 bi) em 2000.