Republicanos querem intensificar operações contra indocumentados em locais de trabalho

0
417

Maioria de oposicionistas na Câmara vai garantir mais agressividade contra imigrantes

A deportação de indocumentados atingiu nível recorde em 2010, mas os imigrantes podem esperar um situação ainda mais adversa para este ano. Os republicanos querem aproveitar sua maioria na Câmara dos Representantes para aprovar medidas ainda mais agressivas contra quem está em situação imigratória irregular. Os legisladores de oposição planejam trazer de volta as operações em locais de trabalho.
Pelo visto não surtiram efeito as palavras do presidente Barack Obama no discurso do ‘State of the Union’, em que ele pede união dos parlamentares para impedir a saída de profissionais talentosos do país. “Temos que, de uma vez por todas, debater esse assunto. Milhões de pessoas estão vivendo às sombras da sociedade e chegou a hora de nos unirmos neste esforço”, acrescentou o presidente.

Os republicanos, porém, deixaram claro que querem de volta as constantes batidas do ICE – polícia de imigração americana ” em fábricas e grandes empresas, como era comum na administração de George W. Bush. Nos últimos dois anos, desde a posse de Obama, o foco dos agentes foi transferido para empregadores e indocumentados com antecedents criminais. Para se ter uma ideia, as detenções de estrangeiros em locais de trabalho ou em situações de rotina, como dirigir sem carteira ou usar número de seguro social falso, caíram mais de 70% no atual governo.

Como aconteceu nas eleições de novembro, a imigração pormete ser um dos temas mais polêmicos na campanha para 2012. Por conta disso, os republicanos já começaram a reforçar seus discursos com a tese de que os indocumentados estão tirando os empregos dos cidadãos americanos. Amparados pelo alto índice de desemprego, superior a 9% na América, a oposição tem usado os imigrantes como bode expiatório dos problemas econômicos.”É difícil imaginar uma pior época para o corte de agentes especializados em encontrar indocumentados trabalhando ilegalmente. Cidadãos e imigrantes com vistos de trabalho não deveriam estar competindo no mercado com quem sequer deveria estar no país”, disse o deputado republicano do Texas Lamar Smith.

Outros fatores também devem ser levados em conta: além de caras, as operações em locais de trabalho acabam causando traumas desnecessários e despertam em ativistas de direitos humanos muitas críticas. Entre 2007 e 2008, os gastos com as batidas em fábricas e grandes empresas excederam 10 milhões de dólares aos cofres públicos com a convocação de agentes extras do ICE, muitos deles vindo de outros estados. Isso sem falar na despesa de 12.500 dólares por pessoa deportada.”O custo benefício não compensa”, admite a deputada Sheila Jackson Lee, democrata do Texas, acrescentando que a maior necessidade é deportar quem cometeu algum tipo de crime. Por outro lado, ao focar as ações em empregadores, o governo recebeu quase sete milhões de dólares em multas.