Robert Gates assume cargo de secretário da Defesa dos EUA

0
759

Robert Gates, ex-diretor da CIA (agência de inteligência americana), assumiu nesta segunda-feira oficialmente o cargo de secretário da Defesa dos Estados Unidos como sucessor de Donald Rumsfeld, em cerimônia que aconteceu na Casa Branca.

O ato teve caráter privado e será seguido por uma segunda celebração pública no Pentágono, que deve ter a presença do presidente dos Estados Unidos, George W. Bush.

Em 6 de dezembro, o plenário do Senado ratificou a nomeação de Gates por 95 votos a favor e dois contra. O ex-diretor da CIA afirmou durante as audiências para sua confirmação no Senado que os EUA não estão ganhando a guerra no Iraque, e advertiu que poderia acontecer uma escalada violenta em todo o Oriente Médio.

Bush aceitou a renúncia de Rumsfeld um dia depois das eleições legislativas de novembro, nas quais o Partido Republicano perdeu –pela primeira vez desde 1994– o controle das duas câmaras do Congresso.

Gates assume o cargo de chefe do Pentágono em um momento especialmente difícil, diante da crescente pressão enfrentada pela Casa Branca para mudar os rumos no Iraque, e frente à crescente insatisfação popular com uma guerra que, desde que começou –em março de 2003– matou quase 3.000 soldados dos EUA.

Além das guerras no Iraque e no Afeganistão, o novo chefe do Pentágono deverá atender a outros problemas que ficaram pendentes durante a gestão de Rumsfeld.

Um deles é a proposta do Exército para que o Congresso autorize um aumento do contingente autorizado de tropas, que atualmente é de 500 mil soldados para esse setor, e 178 mil na Infantaria da Marinha.

Gates assume a chefia do Pentágono com um apoio majoritário, tanto de republicanos como de democratas, e com quase nenhuma crítica.