Romário deu ao mundo ‘presente de Deus’, diz jornal

0
772

Jornais destacam contagem polêmica, mas se rendem ao craque

Romário “brindou ao mundo seu presente de Deus” ao marcar o que disse ser seu milésimo gol, descreve uma matéria publicada no jornal americano de língua espanhola El Nuevo Herald.

“O gol 1.000 de Romário provocou um momento de intensa emoção, apesar da dúvida em relação à veracidade da conta pessoal do ídolo brasileiro”, noticiou o jornal, seguindo a linha de outros na imprensa internacional.

“O Baixinho sempre se caracterizou por resolver como ninguém a última jogada com a perícia de um autêntico maestro”, louvou o jornal.

Com circulação sobretudo na Flórida, estado onde o craque atuou pelo Miami FC, o Nuevo Herald afirma: “À primeira vista, as expressões de Romário podem parecer arrogantes ou surgidas de alguém muito presunçoso, que quer se vangloriar de suas virtudes”.

“No trato pessoal, entretanto, o Baixinho é um homem simples, que em sua passagem por Miami deixou gratas recordações. Seus companheiros lembram com admiração seu tempo no clube da Capital do Sol.”

A matéria afirma que os mil gols de Romário causarão “polêmica e discussão eternas”.

“O que ninguém discutirá é sua extraordinária habilidade de definir (a jogada). Dentro da área era implacável. Demonstrou isto em todos os gramados. E, como ele mesmo diz, essa virtude era um presente de Deus, que lhe serviu para dar alegria ao povo e um título mundial ao Brasil”.

Aritmética

Mais irônico, o italiano Corriere della Sera destacou que, para alcançar o número mil, Romário retorceu “a aritmética e pelo menos um par de outras disciplinas do conhecimento humano, como a lógica e a biologia”.

O jornal relativiza as comparações entre o Baixinho e Pelé, autor de mais de 1,2 mil gols. Enquanto o Rei tinha, em 1969, apenas 29 anos quando marcou seu milésimo gol, a carreira do “peixe” foi “retardada artificialmente, e muitas partidas, organizadas sob medida” para que ele alcançasse a meta.

O correspondente do jornal no Brasil diz que o craque teve “uma carreira com pontos de excelência indiscutível, e um epílogo lento demais”. Mas concede: “Nem tudo é artificial, entretanto. De um modo ou de outro, Romário marcou até alcançar uma quantidade considerável de gols. E alguns verdadeiramente geniais”.

“Hoje, no entanto, é dia de festa. Tanto que a solução popular veio faz tempo: verdadeiro ou falso, o ‘milésimo’ é um reconhecimento que ele merece.”

Treinos

Já o francês Libération disse que o atacante do Vasco da Gama “entrou para a lenda”, e destacou a conhecida aversão de Romário aos treinos matinais.

“Ovelha negra de técnicos, Romário nunca gostou de treinos, gozando de privilégios em relação aos seus colegas de equipe. Mas, nas horas difíceis, é a ele que todos apelam”, diz o Libération.

“Ultimamente, obcecado com o objetivo autoimposto (marcar o milésimo gol), o baixinho reduziu suas noitadas e recomeçou os treinamentos”, descreve a matéria.

“O segredo da longevidade? O talento, claro, a retomada da forma (ele emagreceu) e talvez até, segundo alguns, o fato de que ele ter justamente se poupado, até aqui, dos treinos intensivos.”