Saiba o que reabre em Nova York nesta primavera

0
741
Palco do Delacorte Theater em 2019 antes da apresentação de “Muito Barulho Por Nada” (Foto: Sandra Colicino)
Palco do Delacorte Theater em 2019 antes da apresentação de “Muito Barulho Por Nada” (Foto: Sandra Colicino)

Com a aceleração do programa de vacinação e diminuição dos novos casos de Covid-19, o governo do estado de Nova York, sob liderança de Andrew Cuomo, anunciou em sua coletiva de imprensa do dia 18 de março quais são as restrições a serem liberadas a partir do dia 22 de março. 

Para os alunos da rede pública do ensino médio, as salas de aula estarão liberadas com capacidade limitada. Os alunos ainda terão a opção de ensino remoto. Apesar da reabertura das salas de aula, na cidade de Nova York, a unidade escolar que apresentar dois casos de Covid-19 não relacionados entre si, deverá ser fechada imediatamente, até que o rastreamento de contatos possa avaliar a real extensão de infeções. O ensino fundamental voltou na cidade de Nova York desde 15 de fevereiro.

A partir de 22 de março, aulas de ginástica em academias e estúdios também estão liberadas com capacidade máxima de 33%. Serão exigidas medidas rígidas de higiene assim como coleta de dados a fim de rastreamento de contato. 

Além disto, as chamadas “zonas amarelas” em algumas regiões da cidade serão eliminadas. Essa designação limitava a quatro o número de pessoas em cada mesa nos restaurantes dentro desta área. No dia 19 de março, a capacidade para a parte interna de restaurantes aumentou para 50% na cidade de Nova York. Para reuniões nas residências, o governo estadual liberou para até 25 pessoas do lado de fora, mas permanece a 10 pessoas quando se trata da parte de dentro das casas. 

O mês de abril traz mais liberações que vão animar os torcedores de baseball.  A partir de 1° de abril, o Yankee Stadium e o Citi Field poderão receber torcedores com até 20% e 10% de capacidade, respectivamente. Para arenas e estádios fechados, a capacidade é limitada a 10%. Os participantes terão de mostrar o cartão de vacinação ou um teste de Covid-19 negativo recente e manterem distanciamento social a fim de poderem entrar nos jogos.

Para as casas de espetáculos, a partir de 5 de abril, os estabelecimentos poderão receber espectadores a 33% de capacidade, com o limite máximo de 100 pessoas em casas fechadas e 200 em casas abertas.

A partir de 5 de abril, o toque de recolher, às 11 da noite, para cassinos, salas de cinema, boliches, casas de bilhar e academias será suspenso.

Shakespeare In The Park Retorna a Nova York em 2021

Uma das mais importantes tradições do verão novaiorquino, o Shakespeare in the Park retornará em 2021 com uma adaptação de “Merry Wives of Windsor”/“As Alegres Comadres de Windsor,’ que ocorre no Delacorte Theater, Central Park.

O Public Theater, organização que promove o Shakespeare In The Park, anunciou na terça-feira, 16 de março, que irá retomar o festival durante a temporada de 2021.

O festival, que ocorre há mais de 60 anos, foi suspenso no ano passado devido à pandemia. Normalmente, inicia-se no final de maio até o final de agosto, com duas montagens de obras de Shakespeare, uma comédia e uma tragédia. A entrada para as peças é gratuita, porém, ingressos são bem concorridos. Uma versão do festival foi transmitida por rádio em quatro partes em 2020 da peça Richard III, pela WNYC.org, a rádio pública de Nova York. Para 2021, no entanto, a temporada iniciará em 5 de julho e encerrará em 29 de agosto. 

Como mencionei, a peça escolhida foi “Merry Wives.” Para a adaptação aos palcos do Delacorte Theater em 2021, o Public Theater convidou a dramaturga de ascendência ganense Jocelyn Bioh. 

A produção será uma “adaptação fresca e alegre feita por Jocelyn Bioh… que se passará no Harlem no meio de uma comunidade vibrante e eclética de imigrantes do oeste da África. ‘Alegres Comadres’ celebrará a alegria, a risada e a vitalidade africanas. Uma história de Nova York sobre os truques do coração, no coração da cidade”, segundo comunicado de imprensa do Public Theater.

Sendo o Delacorte Theater um local ao  ar livre, isso significa que o teatro terá a capacidade de até 500 assentos, segundo o atual protocolo para esse tipo de estabelecimento. Mais informações quanto à distribuição, capacidade e procedimentos estarão disponíveis nas próximas semanas.

Mais um motivo pelo qual Andrew Cuomo deveria se afastar do Governo de NY

Nas últimas semanas, o governador de Nova York, Andrew Cuomo, tem sido bastante criticado e muitos pedem sua renúncia, inclusive figuras de alto escalão na política de Nova York, tais como a deputada federal Alexandria Ocasio-Cortez e senadores Chuck Schumer e Kirsten Gillibrand, devido às acusações de assédio sexual por sete mulheres até o momento. Porém, os motivos pelos quais Cuomo deveria ser afastado, vão além dos maus tratos a mulheres. A administração de Andrew Cuomo omitiu dados com relação a mortes em asilos no estado de Nova York e agora está sob investigação criminal nos departamentos de justiça do estado e do governo federal e, até pelo FBI (Federal Bureau of Investigation).

Fachada de um asilo no Queens, NY (Foto: Sandra Colicino)
Fachada de um asilo no Queens, NY (Foto: Sandra Colicino)

Tudo começou no final de março de 2020, quando o estado de Nova York se tornou o epicentro mundial da crise do coronavírus. Em breve, os hospitais do estado entraram em colapso e houve necessidade de liberar mais leitos em hospitais a fim de atender os pacientes que surgiam diariamente. 

Uma das soluções encontradas foi retornar pacientes idosos de volta aos asilos. Como se sabe, a população idosa está entre as mais vulneráveis ao Covid-19, sendo que a maioria das fatalidades ocorreu no grupo etário acima de 65 anos (80%, segundo estatísticas do CDC). A consequência de tal medida foi o aumento significativo no número de novos casos e fatalidades nos asilos. O governo estadual, contudo, reportou o número de mortes dos asilos como mortes em hospitais. 

Esses dados não vieram à tona até o mês de janeiro, quando o escritório da procuradoria geral do estado de Nova York, liderado por Letitia James, obteve documentos do departamento de saúde do estado, confirmando que os números não estavam corretos. A investigação do departamento de justiça foi impulsionada por uma ação judicial trazido pelo grupo conservador Empire Center. 

Para agravar a situação do governador Andrew Cuomo, durante uma conferência virtual entre Melissa DeRosa, secretária do governador, e deputados estaduais, ela confessou que o governo estadual havia escondido alguns números do departamento de justiça do governo federal em agosto, com medo de uma represália da administração do então presidente Donald Trump. 

O público tomou conhecimento de tal reunião através do representante do distrito 40 no Queens, Ron Kim, quando este resolveu expor a realidade e ainda afirmou ter recebido um telefonema ameaçador do próprio governador a fim de desmentir o conteúdo da reunião virtual com DeRosa. 

Por esse e outros motivos, o governador Andrew Cuomo deve ser levado à justiça, caso seja provado que ele agiu de má fé ao lidar com casos de coronavírus em asilos e tenha cometido assédio sexual. Até o momento, as evidências são bastante reveladoras, mas as investigações continuam em andamento.