Seleção Brasileira recupera a vice-liderança nas Eliminatórias

0
478

Vitória sobre o Peru e a derrota vergonhosa da Argentina colocam time de Dunga em 2º

rodada das eliminatórias sul-americanas neste meio de semana não poderia ter sido melhor para a torcida brasileira. A equipe do técnico Dunga obteve, em casa, uma fácil vitória sobre a seleção peruana, pelo placar de três a zero e ainda acompanhou o calvário da maior rival, a Argentina, que tomou de seis a um da Bolívia, na altitude de La Paz. Os resultados deixaram o Brasil na vice-lideraça, a apenas três pontos do Paraguai.

O jogo no Beira-Rio foi burocrático, mas a seleção canarinho jamais esteve ameaçada pelo pior time das eliminatórias – O Peru tem apenas sete pontos em 12 jogos e está na lanterna do certame. Desde o início da partida, o time brasileiro impôs o seu ritmo e os gols saíram naturalmente: os dois primeiros do atacante Luis Fabiano e o último de Felipe Melo do apoiador. O Brasil, finalmente, marcou gols jogando em seu território, o que não acontecia há três partidas (três empates sem abertura de placar) ou quase 16 meses.

Dunga gostou do que viu: “O time fez o dever de casa. Se continuarmos empatando fora e ganhando em nosso território, cumpriremos a nossa meta”, afirmou o técnico, que elogiou a atuação do meia Felipe Melo. A próxima rodada das eliminatórias será somente em junho, quando o Brasil enfrenta o Uruguai no dia 6 de junho, em Montevidéu. No dia 9, o compromisso é contra o Paraguai, num jogo que pode valer a liderança.

Chocolate argentino

É bem verdade que a vitória da seleção deixa qualquer brasileiro contente… mas o que dizer da goleada sofrida pela Argentina em La Paz, levando seis gols numa partida irreconhecível dos comandados de Diego Armando Maradona? O técnico, que na véspera disse que não há ninguém melhor no mundo do futebol do que o argentino Lionel Messi, mas ele sozinho não foi suficiente para evitar o vexame de nossos ‘hermanos’. “Cada gol da Bolívia foi como uma facada em meu peito”, comparou Maradona. A torcida brasileira, lógico, aproveitou a oportunidade e fez brincadeiras sobre o pífio desempenho da Argentina, com cartazes e refrões contra os maiores rivais.