Seminário Internacional da Lide reúne empresários brasileiros e americanos

0
759

Evento internacional realizado neste final de semana discutiu as possibilidades de incremento no comércio entre os dois países

O 18º Seminário Internacional Lide, um grupo de empresários brasileiros que se dedica a pensar alternativas para o Brasil, foi realizado entre os dias 27 e 29 de setembro em Bal Harbour e serviu para discutir as possibilidades comerciais entre os dois países, sobretudo com a Flórida, uma vez que o Brasil é o principal parceiro comercial da Flórida, que é também um dos destinos preferidos pelos brasileiros.

Não à toa, o governador Rick Scott compareceu ao evento como palestrante e enalteceu a amizade e a cooperação comercial entre os dois parceiros. Ele que visitou o Brasil anteriormente prometeu fazer uma nova visita, caso seja reeleito no próximo ano. Em sua palestra, Scott falou bastante sobre a redução dos impostos e a desregulamentação como fatores para incentivar a iniciativa privada. O governador contou ainda ser, em essência, um empreendedor, uma vez que veio de família pobre, cujo pai era um caminhoneiro e ele fez carreira na área de seguro saúde. Logicamente, concitou os empresários brasileiros a investir na Flórida e comentou sobre grandes empresas do Brasil que já estão instaladas aqui como Embraer e Odebrecht, além de outras 150 outras companhias.

Do Brasil, vieram vários políticos, como os senadores Romero Jucá (RR) e Ricardo Ferraço (ES), do PMDB; José Agripino Maia (RN), do DEM; Cássio Cunha Lima (PB), do PSDB, além dos deputados federais Nelson Pellegrino (BA), do PT, Arnaldo Jardim (SP) do PPS, e Walter Feldman (SP), que está trocando o PSDB pela Rede Solidariedade. Estiveram presentes, ainda, Jean Rosenfeld, prefeita de Bal Harbour; Marconi Perillo, governador de Goiás, e Rodrigo Garcia, secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo, além de Roberto Rodrigues, ex-ministro da Agricultura do governo Lula, do embaixador Hélio Victor Ramos Filho, cônsul-geral do Brasil em Miami, de Silvia Breda Pierson, diretora da APEX, e de Edson Bueno, fundador do Grupo Amil e atual presidente do Lide. O moderador foi o empresário João Doria Jr., criador do Lide, e fundador do Grupo Doria, que organiza estes eventos e publica a revista Meeting & Negócios.

Doria, aliás, enfatizou a necessidade de se suspender a exigência de vistos para btrasileiros viajarem aos EUA e vice-versa, uma burocracia que serve de entrave para se incrementar o comércio e o turismo entre os dois países. Medida que, por sinal, é apoiada pelo governador Rick Scott.

Do lado brasileiro, o secretário Garcia mostrou um vídeo produzido pela Investe São Paulo no qual são enfatizadas as vantagens de se investir no estado de São Paulo, o mais rico e populoso estado brasileiro. Os números apresentados pelo documento impressionam e colocam São Paulo a nível de um país europeu. Em termos de qualidade de vida, o estado de São Paulo possui 19 das 20 melhores cidade com qualidade de vida no Brasil.

Também Marconi Perillo exibiu um vídeo sobre Goiás, considerado um estado de mais rápido crescimento, que está deixando de ser apenas uma fronteira agrícola e pecuária para se tornar um polo de desenvolvimento industrial e tecnológico.
Inevitavelmente, o debate abordou vários temas da política brasileira, sobretudo o cancelamento da viagem de Dilma Rousseff aos EUA em outubro deste ano. Todos os políticos concordaram com a suspensão (na verdade, um adiamento), mas criticaram o fato de o Brasil estar preso ao Mercosul, um bloco cujos resultados são pífios do ponto de vista econômico e que vem impedindo o Brasil de formar acordo bilaterais. Isto vem traduzindo-se em perda de terreno no mercado internacional em comparação com outros países que estão livres destas amarras ideológicas, uma vez que o Brasil não quer desagradar Argentina, Venezuela, Bolívia, Uruguai e Paraguai.

O próximo seminário internacional da Lide está marcado para setembro do ano que vem em Barcelona, porque, segundo Doria, “a Espanha é hoje um país com muitos investimentos no Brasil”.