Senado corta reforma de saúde pública para menos de um trilhão de dólares

0
494

Comitê de Finanças do Senado articulou uma reforma da saúde pública que será paga através de uma combinação de aumento de impostos e poupança

O Comitê de Finanças do Senado montou um projeto de lei para a reforma da saúde pública que exigirá menos de US$1 trilhão, anunciou nesta quinta-feira, 25 de junho, Max Baucus, democrata de Montana e presidente do Comitê de Finanças da Casa.
Baucus, que trabalhará juntamente com o senador Chuck Grassley, republicano do Iowa, confirmou que escolherá as políticas que constituirão o projeto de lei. Segundo Baucus, eles não revelarão nada “até ter a coisa acertada”, mas adiantou que a viabilização financeira do projeto de lei se dará através da combinação do aumento de impostos e de várias poupanças.
O Escritório de Orçamento do Congresso também colocou à disposição várias políticas de opções que o comitê pode escolher a fim de atender o valor politicamente importante de US$1 trilhão, acrescentou Baucus.Um assessor do senador confidenciou aos jornalistas que o projeto de lei do Comitê de Finanças pode providenciar cobertura de seguro para 97 por cento dos americanos.
Integrantes do Comitê de Finanças ficaram chocados na semana passada quando o Escritório de Orçamento do Congresso determinou que o projeto de lei da reforma custaria US$1,6 trilhão. Eles pouco a pouco estão reduzindo este valor. Ter o valor determinado em torno de US$1 trilhão é a chave para ter o projeto de lei aprovado, comentaram os membros do Comitê de Finanças.
Os senadores ainda precisam decidir que opções políticas escolherão a fim de viabilizar o pacote de reforma abrangente.