Senado já debate novo projeto de reforma de imigração

0
659

Apresentado em janeiro pelo democrata Harry Reid (foto), texto justifica que legalização de indocumentados pode impulsionar economia

O primeiro passo em direção a uma reforma imigratória justa nos Estados Unidos foi dado pelo líder da maioria do Senado, o democrata Harry Reid, logo na abertura dos trabalhos do Congresso Nacional, em janeiro: o parlamentar apresentou dez novos projetos de lei que vão nortear a agenda do partido na nova gestão e uma das prioridades é justamente uma abrangente legislação que possa ressucitar as oportunidades de legalização para mais de 12 milhões de indocumentados que vivem na América.

O projeto de lei nº S. 9, chamado de ‘Stronger Economy, Stronger Borders Act of 2009’ (algo como ‘Economia mais forte, fronteiras mais seguras’) contém apenas duas páginas, mas especifica que o objetivo é reconhecer que os Estados Unidos são uma nação formada por estrangeiros e que estes serão importantes na retomada econômica. “Os democratas querem fortalecer a economia e as fronteiras através da aprovação de leis mais justas para os imigrantes”, justificou o senador Dick Durbin, de Illinois, durante o debate sobre o novo projeto. Outros políticos apóiaram de imediato a iniciativa de Reid, entre eles alguns nomes de peso da política americana – como Ted Kennedy e John Kerry.

Ainda não há data certa para que o projeto entre na pauta de votação no Senado. No entanto, os democratas estão buscando formas de unificar o discurso para sensibilizar parte da opinião pública que ainda resiste à idéia. “A reforma é fundamental para proteger os direitos dos trabalhadores, pois vai exigir de todos que vivem neste país o cumprimento das leis e o pagamento de sua parcela das taxas”, acrescentou Durbin.

Do mesmo modo, outras lideranças falaram abertamente sobre o assunto: “A reforma é uma necessidade para consertar a economia americana”, disse John Wilhelm, presidente de um sindicato de trabalhadores. O arcebispo de Los Angeles, cardeal Roger Mahoney, também emitiu sua opinião na imprensa e afirmou que os indocumentados precisam ser tirados das sombras para que possam contribuir pelo futuro da economia e pelo bem estar da população”.