‘Show de Victor e Leo foi um sucesso’, diz produtora

0
628

Rita Montardo disse ter feito um grande esforço juntamente com sua equipe para que o espetáculo fosse realizado

DA REDAÇÃO – A promotora dos shows da dupla Victor e Leo nos EUA, contrariando os críticos, fez questão de enfatizar que, “apesar de todas as dificuldades, o show dos artistas foi um sucesso”.

Rita admitiu, no entanto, o desconforto passado pelo público em virtude de um problema que, segundo ela, não foi criado pela sua produtora ou pela própria banda. “Depois de contratarmos o Club Cinema, em Pompano Beach, ficamos sabendo na quarta-feira (29/02)que não havia luz no local. Protestamos e eles colocaram luz na quinta-feira (1) à noite, provavelmente à base de gerador. Na sexta-feira (2), porém, no dia do show, ficamos sabendo que a FPL havia cortado a eletricidade. Para resolver a questão, paguei a conta de luz atrasada” no valor de $23,000 -, mas nem assim conseguimos ter a luz religada”, relembrou.

A partir daí, começou o pesadelo de Rita e de sua equipe de produção. Muita gente surgiu para ajudar Rita a resolver o problema. Entretanto, às 7 horas da noite nada havia sido resolvido. Preocupada, entrou em contato com o Café Mineiro para ajudar na questão de fornecimento de bebidas no bar do clube. “Só posso agradecer ao Lee (Lyuan) por ter me socorrido”, fez questão de enfatizar.

Às 7h15 da noite, saíram em busca de um gerador para que o show pudesse ser realizado.”Só tenho que agradecer a compreensão da banda, que montou os equipamentos de som e luz à base de lanternas. Os músicos foram 100%”.

Os principais problemas foram a longa espera “em vez de as portas serem abertas às 9 horas, o público só pôde entrar por volta das 11 horas da noite” e a falta de uma energia mais forte, até porque a energia obtida com geradores é bem menor do que aquela gerada pela empresa de eletricidade. Isto obviamente deixou o ambiente muito quente e dificultou o esfriamento das bebidas servidas aos clientes.

Com relação ao preço cobrado pelas bebidas, Rita não quer entrar no mérito e prefere destacar o heroísmo da equipe de produção e a compreensão dos artistas para que o show não fosse cancelado: “Isto, sim, seria um desastre e um desrespeito para com o público”, realçou a organizadora do evento.