Sistema de Classificação identifica os condados mais saudáveis dos Estados Unidos

0
507

Estudos que classificam municípios em relação à saúde de seus habitantes revela aspectos que influenciam qualidade e expectativa de vida da população

DA REDAÇÃO – Mais de três mil municípios e o Distrito de Columbia podem comparar as condições de saúde de sua população, bem como sua expectativa de vida, através da análise dos resultados obtidos no Sistema de Classificação da Qualidade da Saúde nos Condados Americanos de 2012. Tal classificação é o resultado de uma avaliação anual que destaca os municípios mais saudáveis e os menos saudáveis em todos os estados, bem como os fatores que influenciam as condições de saúde fora do consultório médico. O estudo destaca a importância que fatores críticos como taxas de educação, níveis de renda, acesso a alimentos saudáveis e a cuidados médicos têm na determinação da expectativa e qualidade de vida das pessoas. Aproveitando a terceira edição anual da pesquisa, líderes comunitários têm usado o sistema de classificação para identificar e superar as dificuldades e desafios apresentados, assim como estabelecer medidas a serem tomadas referentes à saúde dos moradores de seus municípios e condados.

Publicado on-line em www.countyhealthrankings.org pelo Instituto de Saúde da População da Universidade de Wisconsin e a Fundação Robert Wood Johnson (RWJF), o estudo avalia a saúde geral de quase todos os distritos em 50 estados, usando uma forma padrão para medir a condição de saúde das pessoas saudáveis e quanto tempo elas vivem. A análise considera fatores que afetam a saúde dentro de quatro categorias: comportamentos de saúde, cuidados clínicos, fatores sociais e econômicos, e ambiente físico. Itens analisados nesse ano incluíram a quantidade de restaurantes de comidas rápidas presentes nos municípios e os níveis de inatividade física entre os seus moradores. Gráficos atualizados que ilustram as tendências de morte prematura nos últimos dez anos também foram incluídos na pesquisa.

Os resultados da pesquisa mostram que vários fatores que influenciam nossa saúde ocorrem fora do consultório médico. Na verdade, onde vivemos, estudamos, trabalhamos e nos divertimos tem um grande papel na determinação do quão saudável somos e quanto tempo vivemos, disse Risa Lavizzo-Mourey, médica, MBA, presidente e CEO da RWJF. A boa notícia é que empresas, prestadores de serviços na área de saúde, governo, consumidores e líderes comunitários já estão unindo forças em comunidades de todo o país para mudar algumas das dificuldades destacadas pela pesquisa.

Diferenças regionais

A pesquisa mostra que há grandes diferenças regionais nos fatores que influenciam a qualidade de saúde das populações em todo o país.
Dentro de cada estado, até mesmo os municípios mais saudáveis têm áreas onde podem melhorar. Municípios saudáveis (aqueles onde as pessoas vivem mais e têm uma melhor qualidade de vida) têm menores taxas de fumo, inatividade física, gravidez na fase da adolescência, internações hospitalares evitáveis, desemprego, crianças em situação de pobreza e criminalidade violenta e as maiores taxas nos níveis de educação, apoio social, e acesso a clínicos gerais. No entanto, tanto os municípios saudáveis como os mais insalubres podem apresentar altas taxas de consumo de bebidas alcoólicas e não oferecer melhor acesso a opções de alimentos saudáveis.

Em todo o país alguns fatores que influenciam a saúde, tais como o fumo, a disponibilidade de clínicos gerais, cuidados básicos de saúde e apoio social, revelam as mesmas dificuldades em todas as regiões. Enquanto isso, outros fatores refletem alguns padrões regionais distintos, tais como:

Taxas de alcoolismo elevadas são mais frequentes nos estados do norte.
Taxas de gravidez na adolescência, infecções sexualmente transmissíveis, e crianças em situação de pobreza são mais elevados entre os estados do sul.
As taxas de desemprego são mais baixas no nordeste, centro-oeste, e nos estados da planície central.
• Morte por acidentes de veículos motorizados são os mais baixos nos estados do nordeste e parte norte do centro-leste .