Site de Fort Lauderdale é atacado por hackers em represália às medidas contra homeless

0
940

Ativistas estão revoltados porque prefeitura proibiu ajuda a moradores de rua da cidade

DA REDAÇÃO COM SUNSENTINEL

“Site

O site da cidade de Fort Lauderdale (fortlauderdale.gov) foi invadido por hackers na última segunda-feira (1) e impediu a população de acessar serviços disponíveis no website. O motivo seria uma represália às leis recentes que regulamentam o comportamento de pessoas sem-casa, os chamados homeless.

Num vídeo postado no Youtub, o provável invasor disse que “derrubaria” o site da cidade de Fort Lauderdale caso os polêmicos decretos que proibem instituições e os cidadãos de ajudarem homeless fossem revogados. Os decretos tornaram ilegais os atos de pedir dinheiro em cruzamentos movimentados, dormir em espaço público no centro da cidade e restringiu a atividade de ONGs e grupos de caridade que alimentam os sem-teto.

A pessoa mascarada que postou um vídeo no site da prefeitura disse: “você tem 24 horas ou menos para voltar atrás”. O grupo organizado de hackers e ativistas sociais chamou sua ação de “Operação Levante Às Proibições”.

Em resposta, o prefeito Jack Seiler disse que os ataques não mudariam a posição da cidade sobre as leis aprovadas recentemente. O estopim para a ação dos ativistas foi a prisão de Arnold Abbot, um senhor de 90 anos que dedicava sua vida a alimentar os sem-teto.

Arnold Abbott corre o risco de ser multado em $ 500 e passar um tempo na prisão após ser apreendido por policiais enquanto estava distribuindo refeições para moradores de rua em um parque no domingo. Ele foi preso e acusado juntamente com dois pastores da Igreja Santuário, que prepara centenas de refeições para repartir toda semana em sua cozinha, enquanto os espectadores gritaram aos oficiais “que vergonha!”.

Em 1999, o Sr. Abbott processou a cidade de Fort Lauderdale depois que ele foi impedido de alimentar os sem-teto na praia, e o tribunal considerou que a regra era contra a Constituição. A nova lei – que já está em vigor em Seattle, Los Angeles, Phoenix, Dallas e Philadelphia – foi aprovada no início de novembro.

As novas regras exigem que os grupos estejam pelo menos a 500 metros de distância de residências e restaurantes. Instituições de caridade têm criticado as regras como formas de implementação de limpeza social.

Michael Stoops, organizador comunitário na Coalizão Nacional para os Sem Abrigo, disse à emissora americana NBC News: “O desenvolvimento econômico e o turismo não combinam bem com as pessoas sem-abrigo e as agências que os servem.”