Skank promete sacudir Pompano

0
737

O grupo Skank, criado em 1991, em Belo Horizonte, é a grande atração do final de semana em Broward. Os mineiros se apresentam neste sábado, 27 de junho, no Club Cinema (3251 North Federal Highway) em Pompano Beach. As portas serão abertas a partir das 9 horas da noite e as mulheres ainda poderão tomar drinques grátis até as 11 horas da noite.

O primeiro álbum do grupo foi feito de forma independente, mas o sucesso underground despertou o interesse da poderosa Sony Music que, com a banda, inaugurou no Brasil o selo Chaos. Seu segundo disco, de 1994, foi o trampolim para o estrelato: mais de um milhão de cópias de “Calango” e top-hits como “Jackie Tequila” e “Te Ver”.

O disco seguinte foi ainda mais longe (tanto em sua missão de fusão quanto em seu sucesso comercial): “O Samba Poconé” levou o grupo a se apresentar em vários países. O single “Garota Nacional” foi um sucesso monstruoso no Brasil e liderou a parada espanhola (em sua versão original, em português) por inacreditáveis três meses – a canção foi o único exemplar da música brasileira e integrar a caixa “Soundtrack for a Century”, lançada para comemorar os 100 anos da Sony Music.

Enquanto “O Samba Poconé” chegava a quase duas milhões de cópias vendidas no Brasil, o Skank foi convidado a representar seu país no álbum “Allez! Ola! Olé!”, disco oficial da Copa do Mundo de Futebol de 1998.

O sucesso não arrefeceu: vieram mais hits radiofônicos, como “Resposta”, “Saideira” e “Balada do Amor Inabalável” – esta com ecos de Sergio Mendes em climas cyberpunk. É a mesma versatilidade que permite ao grupo gravar ao lado de Andreas Kisser (Sepultura), Manu Chao, Uakti ou Jorge Ben Jor e arrancar elogios de Stewart Copeland por sua versão de “Wrapped Around Your Finger”, incluída no tributo latino ao Police, “Outlandos D’America”.

O início de 2003 foi investido na meticulosa preparação de “Cosmotron”, álbum que chegou às lojas merecendo rasgados elogios da imprensa. Enquanto o primeiro single, a balada psicodélica “Dois Rios”, ganhava as rádios do Brasil, o grupo se lançava em mais um giro internacional. Com o novo hit, “Vou Deixar”, o Skank vive uma inédita experiência. Através do novos formatos de comercialização, é o ring tone com o maior números de downloads no país.

Em 2004 chegou o momento de sua primeira coletânea de sucessos. “Radiola”, com foco em Maquinarama e Cosmotron, é lançada em novembro do mesmo ano. Além de oito hits remasterizados em Nova York, há quatro novidades para o público. “Um Mais Um” e “Onde Estão?” são inéditas e registradas especialmente para Radiola. O álbum traz ainda duas versões publicadas pela primeira vez: “Vamos Fugir”, de Gilberto Gil e Liminha, e “I Want You”, gravada no final de 1999 para um tributo a Bob Dylan que nunca chegou a ser lançado. E, em agosto de 2006, surge “Carrossel”, o nono álbum do Skank.

Portanto, energia e boa música não faltarão no show dos rapazes de Belo Horizonte. Os ingressos custam 49 dólares e 59 dólares para o setor VIP.