Substância Elétrica

0
790

Uma banda com energia

Antonio Tozzi

Música brasileira no exterior praticamente é sinônimo de samba e pagode. Os gringos nem sabem que pode haver outros ritmos. Mas os brasileiros sabem que eles existem. E para provar isto nada melhor do que ouvir baião, xaxado, sertanejo, chorinho e quetais. No entanto, um ritmo estava sendo, digamos, esquecido: o rock nacional. Os fãs do gênero sentiam-se desamparados à procura de uma banda que tocasse os clássicos do rock brasileiro.

Boa notícia para os fãs: acabou a procura. O Sul da Flórida já possui uma banda especializada em rock nacional. Seu nome? Substância Elétrica. A descobridora da banda foi Bárbara Rocha, do Café Renascer, de Pompano Beach, que sentia falta deste tipo de música na comunidade brasileira. Aí, chamou Eduardo Rossi e falou sobre a possibilidade de fazer uma apresentação especial naquela casa.

Eduardo prometeu ajudá-la e indicou Alcir Wong, o China, seu roommate e amigo para conversar com Bárbara e montar um show para se apresentar no Renascer. A coisa, porém, não saiu do projeto e novamente Eduardo entrou no esquema e se propôs a tocar baixo na banda.

Estréia – Em abril do ano passado, finalmente realizou-se a apresentação. Pois bem, o que era para ter sido um show único transformou-se num projeto de banda e, logo depois, em um banda de verdade, batizada um mês e meio depois de Substância Elétrica. Seus integrantes: Alcir Wong (China) – vocalista; Bruno Ghislandi – bateria; Eduardo Rossi – baixo; e Pablo – guitarra.

Atualmente, a formação inicial foi modificada com a saída de Pablo – impossibilitado de conciliar os ensaios e as apresentações da banda com sua atividade de lutador de artes marciais – e a entrada de Renan Nunes. Renan passou a ser o baixista do grupo e Eduardo tornou-se o guitarrista, instrumento que, ele próprio admite, toca melhor.

A banda é eclética, com os catarinenses Eduardo e Bruno, o fluminense China e o paraibano Renan. “Foi super legal a entrada do Renan, porque eles nos trouxe músicas novas e ampliamos nosso repertório”, comentou Eduardo.

Realmente, Renan é o mais novo do grupo e o que está há menos tempo nos EUA: dois anos apenas. “Nem queria vir para cá, tinha minha banda lá em João Pessoa, estava fazendo faculdade e, de repente, minha família decidiu emigrar para cá e acompanhei o pessoal. Sentia muita falta de uma banda que tocasse rock brasileiro.

Aí, fui a um show do pessoal, gostei bastante e me apresentei aos rapazes. Depois, veja só, estava na banda. Foi super legal”, contou Renan.

Repertório agrada – O repertório do Substância Elétrica agrada em cheio fãs de todas as faixas etárias. Desde os quarentões que vibram com os antigos sucessos de Lulu Santos, Barão Vermelho, Ultraje a Rigor, Ira!, Capital Inicial, Os Titãs, Raul Seixas, Legião Urbana e outros até os mais jovens que curtem o som de O Rappa, Detonautas, Raymundos, Planet Hemp. “Começamos a incluir músicas de bandas americanas como STP, Green Days, The Doors, Radiohead”, observou Eduardo.

Agora, a banda apresenta-se todo final do mês no Renascer (1062 W Sample Road – Pompano Beach) e em casas como Crabby Jack’s (Boca Raton), Baja Café, Manray e em eventos da comunidade como a Festa da Independência, realizada em outubro passado. “Até mesmo os americanos estão gostando”, comentaram os integrantes da banda.

Eduardo explica que a diversidade ajudou a forjar a química da Substância Elétrica: “Sou formado em teoria musical e toco em outra banda americana, o Bruno tinha banda no Brasil, o Renan também e o China sempre esteve ligado à música. Isto foi muito legal para garantir nosso estilo. Aliás, o que as pessoas gostam é o fato de, mesmo sendo uma banda cover, fazermos arranjos próprios e criar uma marca que nos identifique.”

Projeto de CD – Entusiasmados com o crescimento e aceitação da banda junto ao público local – “Somos a única banda de rock brasileiro do Sul da Flórida” -, os integrantes estão trabalhando na produção de um CD com músicas próprias e também com canções de outras bandas, com novas roupagens. “É algo que vem dando super certo. Mas, por enquanto, o CD é mesmo um projeto a longo prazo. No momento – explica Edu -, queremos nos concentrar nos ensaios e nos shows.”

Afinal, eles têm de dividir o tempo entre as outras atividades e a música, o que não é fácil, levando-se em conta a necessidade de ganhar o pão de cada dia. “Pelo menos, estamos recebendo cachê e não tocando mais de graça, como fazíamos na época em que nos apresentávamos nas festas de amigos”, comemorou Eduardo.

Quem estiver interessado em contratar a banda Substância Elétrica, deve entrar em contato com a empresária do grupo, Bárbara Rocha, através do telefone (954) 328-6503. Eles prometem arrombar a festa!